MENU

Após assalto, PM promete patrulha no Gasômetro a partir das 5h

Após assalto, PM promete patrulha no Gasômetro a partir das 5h

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2011 as 11:49

Motorista rendido no Rio (Foto: Thamine Leta/G1)

  O comandante do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), coronel Gileade Albuquerque, informou que a partir de sexta-feira (26) uma viatura da Polícia Militar vai fazer o patrulhamento na descida do Gasômetro, na altura do Caju, na Zona Portuária do Rio, a partir das 5h. Na manhã desta quinta (25), uma v an e um micro-ônibus que levavam 20 funcionários da Odebrecht, que prestam serviços para a Petrobras, foram assaltados. Em nota, a Odebrecht confirmou o assalto. Leia ao fim desta reportagem a íntegra da nota.

“A empresa dá orientação para não passarmos por alguns lugares que são perigosos. Mas ali onde aconteceu o assalto tem sempre uma patrulha da polícia, hoje ela não estava lá”, contou o motorista da van, Fernando Cícero.

Segundo o coronel do BPRv, todos os dias uma viatura chega às 6h na via. No entanto, por conta de uma ocorrência na Ponte Rio-Niterói, a mesma patrulha precisou deixar o local. Por conta do crime nesta quinta, o patrulhamento será adiantado.

O comandante do 4° BPM (São Cristóvão), tenente-coronel Vinícus Mello, afirmou que não há informações sobre os criminosos. No entanto, a PM faz buscas na comunidade Parque Esperança, que fica no Caju.

Entenda o crime

Oito criminosos participaram do assalto a  van e ao micro-ônibus , que levavam funcionários da Odebrecht para o Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste.

"Os bandidos entraram no ônibus com fuzil e pediam dinheiro. Eles falavam 'cadê os gringos, cadê os gringos', mas comigo não tinha nenhum estrangeiro", conta o motorista do micro-ônibus, que preferiu não se identificar. Segundo ele, o grupo viajaria para Santos, no litoral paulista. O motivo da viagem ele não soube informar, mas uma das vítimas comentou com bombeiros que iria para uma plataforma da Petrobras.

O crime aconteceu por volta das 6h desta quinta-feira (25). As primeiras informações passadas pelo Corpo de Bombeiros apontavam que uma van com pelo menos oito turistas estrangeiros foi assaltada na descida do Gasômetro. Mas a informação foi retificada pelo motorista do micro-ônibus, que informou que a van levava oito estrangeiros além do motorista. Já no micro-ônibus, eram 12 brasileiros. 

Segundo a assessoria da Polícia Civil, dos oito estrangeiros, sete são americanos e um é canadense.

As vítimas foram interceptadas ainda no caminho do aeroporto. Segundo o motorista do micro-ônibus, dois carros tentaram parar a van e o micro-ônibus. O motorista da van, no entanto, não conseguiu parar a tempo e bateu num dos carros dos criminosos. O motorista do micro-ônibus contou que também não conseguiu a frear a tempo e acabou batendo, mas na van. Dois passageiros acabaram se ferindo, com escoriações.

Vítimas falam sobre o assalto

Uma das vítimas que estava no micro-ônibus contou que o desespero foi tanto que a primeira atitude foi entregar tudo que tinha. "É uma sensação que não consigo explicar. Eu fiquei tão desesperado que entreguei tudo", disse um funcionário brasileiro que está pela primeira vez no Rio.

"Pelo lado de fora da van eles perguntaram onde estavam os gringos. Eles estavam comigo na van, mas eu disse que os estrangeiros estavam no ônibus de trás. Aí eles pediram minha aliança, disseram que se eu não desse iam atirar no meu dedo. Eu entreguei, claro. Não valia nada aquela aliança. Graças a Deus estamos com vida", disse o motorista da van, Fernando Cícero.

Segundo as primeiras informações do Corpo de Bombeiros, na hora da fuga os criminosos interceptaram um táxi e fugiram, levando carteiras com documentos e dinheiro dos passageiros. O caso é investigado pela 17ª DP (São Cristóvão), mas a Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o incidente.

Feridos

Segundo o Corpo de Bombeiros, os dois passageiros feridos foram levados para Hospital Souza Aguiar, no Centro. A Secretaria municipal de Saúde informou que eles foram identificados como Cristopher Clayton, de 33 anos, e Hilídio Oliveira, também de 33. Clayton sofreu escoriações na cabeça. Já Oliveira, sofreu uma pancada nas costas. Ambos estão internados no Souza Aguiar, mas devem ser transferidos para unidades particulares, segundo a Secretaria.

Leia a íntegra da nota da Odebrecht:

"Com relação ao incidente ocorrido hoje pela manhã (por volta das 6h) na Av. Brasil, Rio de Janeiro, envolvendo uma van e um micro-ônibus que transportavam Integrantes da Odebrecht Óleo e Gás (OOG), esclarecemos:

- Dois Integrantes sofreram trauma físico sem lesão e já foram atendidos. Ambos estão sendo acompanhados por médicos da Odebrecht, e a avaliação preliminar realizada indica que estão em boas condições e deverão ser liberados depois de um período de observação;

- Assaltantes armados cercaram os veículos e roubaram objetos pessoais dos Integrantes da OOG;

- Ao todo, os veículos transportavam 20 Integrantes, sendo 8 estrangeiros e 12 brasileiros;

- A OOG esta prestando assistência aos Integrantes, assim como colabora com as autoridades de segurança do Estado, no sentido de esclarecer as circunstâncias do incidente".          

veja também