MENU

Após confusão, Cristina Mortágua é transferida para Polinter, diz polícia

Após confusão, Cristina Mortágua é transferida para Polinter, diz polícia

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 3:56

Após passar a noite numa sala de triagem da 16ª DP (Barra da Tijuca), a  ex-modelo Cristina Mortágua foi transferida na tarde desta terça-feira (8) para a Polinter de Magé, na Baixada Fluminense. Ela, que foi presa em flagrante por suspeita de desacato, resistência e injúria, teria agredido a delegada Daniela Rabello.

Para que Cristina não fosse transferida, a família da ex-modelo deveria pagar fiança de R$ 6 mil até esta terça. De acordo com o chefe de investigação da 16ª DP (Barra da Tijuca), Alexandre Pereira, nenhum familiar efetuou o pagamento da fiança.

Avaliação médica

Durante a tarde de segunda-feira (7), Cristina foi levada para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, para uma avaliação médica. Segundo o delegado Rafael Willis, ela aparentava não estar "num estado normal" e pode ter ingerido remédios de uso controlado. A Secretaria municipal de Saúde informou que, segundo os médicos que prestaram atendimento, Cristina chegou à unidade reclamando de mal estar e dores no joelho.

A delegada Daniela Rebello diz que levou uma "joelhada" da ex-modelo na altura do estômago após uma discussão. O G1 não conseguiu contato com a ex-modelo ou com algum representante dela para comentar o caso.

Como aconteceu

De acordo com a polícia, o filho de Mortágua, de 16 anos, foi na segunda-feira à delegacia prestar queixa de agressão contra a própria mãe. Segundo policiais, ele estava acompanhado da empregada doméstica da família . A delegada decidiu ouvir mãe e filho juntos e, durante o depoimento, a ex-modelo começou a gritar e xingar. Segundo a delegada, Mortágua atirou um telefone celular contra o filho. Daniela Rebello, então, solicitou que a ex-modelo saísse da sala.

Aparentemente transtornada, segundo policiais, Mortágua gritou e começou a bater em veículos que estavam no pátio da delegacia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser chamado, mas a mulher recusou atendimento. A ex-modelo foi novamente chamada pela delegada, imobilizada e autuada em flagrante. Segundo Willis, o filho deixou a delegacia com a avó materna, após orientação do Conselho Tutelar.    

veja também