Após dez dias, skinhead agredido por punk deixa UTI de hospital em SP

Após dez dias, skinhead agredido por punk deixa UTI de hospital em SP

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 11:44

Briga entre punks e skinheads ocorreu em frente à

casa noturna em Pinheiros, na Zona Oeste de São

Paulo (Foto: Roney Domingos/G1)

  Fábio dos Santos Medeiros, de 21 anos, investigado pela Polícia Civil de São Paulo por suspeita de ser um dos skinheads que brigaram com punks no início deste mês em frente a uma casa noturna em Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista, deixou a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) após dez dias.

Medeiros, que sofreu traumatismo craniano na confusão, continua internado, mas foi transferido para um quarto na noite de terça-feira (13), de acordo com a assessoria de imprensa do HC da USP. Seu estado de saúde é estável e ele está consciente respirando sem a ajuda de aparelhos. Não há previsão de alta médica para o paciente.

O jovem foi vítima de um punk que acertou sua cabeça com pauladas no dia 4 de setembro. A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) deverá pedir à Justiça a prisão do suspeito de bater em Medeiros. A previsão é que isso ocorra até o fim desta semana.

O confronto entre punks e skinheads, que teria sido agendado pela internet, resultou na morte de Jonhi Raoni Falcão Galanciak, de 25 anos. A vítima era punk. Seu agressor foi preso. Ele era conhecido de Galanciak por ter sido punk. Depois virou skinhead.

  Familiares de Medeiros ouvidos na manhã desta quarta-feira (14) pelo G1 disseram que o jovem não reconhece os amigos. Além disso, comentaram que ele não é neonazista (que prega ódio a negros, homossexuais judeus e nordestinos), mas sim um "nacionalista que valoriza a cultura brasileira" e nunca esteve envolvido em brigas.

De acordo com a investigação da Decradi, Medeiros é suspeito de ser skinhead. Ele teria uma tatuagem da imagem de um soco inglês na barriga e pertenceria à Resistência Nacionalista. Não há informações de que o jovem tenha tido passagens anteriores pela polícia.

Os parentes de Medeiros afirmaram à reportagem que o rapaz é vítima de todo esse conflito que ocorreu durante um show de rock. Aceitando falar na condição de que não tivessem seus nomes divulgados, os familiares disseram que o jovem saiu da casa dos pais, no interior do estado de SP, para ir à capital ver o evento em Pinheiros.          

veja também