MENU

Após fuga de ex-PM, corregedor da polícia fala em 'fragilidade'

Após fuga de ex-PM, corregedor da polícia fala em 'fragilidade'

Atualizado: Sexta-feira, 2 Setembro de 2011 as 4:02

O corregedor da Polícia Militar, coronel Ronaldo Menezes esteve na Unidade Especial Prisional, em Benfica, na Zona Norte do Rio, nesta sexta-feira (2), após a fuga de um ex-PM conhecido como Carlão, durante a madrugada. O corregedor admitiu "fragilidade" no sistema.

"Nós temos realmente uma fragilidade em termos do sistema, fragilidade essa que estão, vêm sendo adotadas medidas de correção. Esse ex-militar obteve fuga, a princípio, uma negligência do nosso oficial de dia. Ele está sendo autuado por ter facilitado essa fuga. A partir daqui, nós estamos instaurando um inquérito policial militar e o objetivo é apurar circunstancialmente como se deram esses fatos", disse o corregedor.

Menezes explicou ainda que o ex-PM "teria tido acesso à sala da defensoria, por essa sala da defensoria ele alcançou o pátio intermediário entre o muro e as instalações. E dali obteve êxito em subir a guarita e com o auxílio de uma corda, ele conseguiu pular para fora do aquartelamento".

O ex-policial militar é suspeito de pertencer a uma milícia que atua em Campo Grande, na Zona Oeste, e estava preso desde junho do ano passado. Segundo o Ministério Público, o ex-policial também é suspeito de atirar contra um outro PM em janeiro de 2010, na Avenida Brasil.

Na ocasião, ele teve a prisão preventiva decretada pela 3ª Vara Criminal da Capital. De acordo com o Ministério Público, Carlão foi denunciado por tentativa de homicídio duplamente qualificado. No momento da prisão, foram encontrados com o suspeito uma pistola calibre 45 e um carro roubado.

Carlão é um dos ex-PMs com mandado de prisão expedida pela Operação Pandora que já estavam presos. Na quinta-feira (1º), a operação realizada por policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra a milícia na Zona Oeste da cidade prendeu outros quatro ex-PMs e duas mulheres.

Durante a solenidade de inauguração da sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão-Pavãzinho-Cantagalo, na Zona Sul da cidade, nesta manhã, o governador Sérgio Cabral falou rapidamente sobre o episódio. "Eu vi a notícia. Certamente a nossa Secretaria de Segurança já está agindo, e o comandante da PM também, tomando as medidas próprias", disse o governador.          

veja também