MENU

Após identificar-se como policiais em delegacia, casal é preso

Após identificar-se como policiais em delegacia, casal é preso

Atualizado: Sexta-feira, 16 Dezembro de 2011 as 1:23

Um homem de 28 anos e uma mulher de 25 foram presos na quinta-feira (15) após se passarem por agentes da Polícia Federal (PF) em Quixeramobim, a 206 km de Fortaleza, segundo informações da Polícia Civil. De acordo com o escrivão Taylon Ruschel, que solicitou a prisão do casal, mesmo depois de detido o casal insiste em dizer que pertencem aos quadros da PF. “Mas verificamos junto a polícia e não há qualquer registro deles”, afirma. Segundo o escrivão, o casal passou todo o dia de quarta-feira (14) transitando pelas dependências do complexo de segurança existente em Quixeramobim. O complexo, conforme Ruschel, reúne Exercito, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Polícia Militar. “Eles não se identificaram. Observaram armamento, movimento de viaturas, quantidade de policiais, quem andava armado, tudo”, disse o escrivão, acrescentando que, somente no fim do dia, quando questionados por alguns funcionários, o casal se identificou como sendo a PF.

O escrivão conta ainda que, na quinta-feira, a Polícia Civil recebeu uma ligação de uma suposta secretaria da Polícia Federal chamada Camila, informando que o casal voltaria ao complexo e pedindo liberação para entrada. “Eles chegaram aqui em 10 minutos. Pediram uma sala para se instalar”, afirma Ruschel que recepcionou os supostos agentes. “Ela se identificou como delegada, mas pedi a identificação e ela disse que ainda não tinha recebido, que era nova no trabalho”, conta.

A suposta delegada mostrou um documento de nomeação ao escrivão que também pediu documentos de identidade. “Olhamos no cadastro da PF, inexistia o nome deles lá. Ligamos para a sede em Fortaleza, também não constava nada. Eles foram presos por se passarem por agentes”, explica Ruschel, acrescentando, “mas eles insistem, dizem que vamos nos arrepender”.

Investigação

A Polícia Civil investiga agora qual o objetivo do casal. Os investigadores acreditam que eles estavam planejando uma ação criminosa dentro do próprio complexo ou na cidade.

veja também