Após incêndio, 2.500 alunos da UFRJ seguem sem aulas até quinta-feira

Após incêndio, 2.500 alunos da UFRJ seguem sem aulas até quinta-feira

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 12:45

 A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou nesta terça-feira (29) que cerca de 2.500 alunos de cursos do Campus da Praia Vermelha, na Urca, na Zona Sul, ficarão sem aula até a quinta-feira (31). Por causa do incêndio que atingiu um prédio da universidade, as aulas de Pedagogia, Administração, Ciências Contábeis, Economia e Comunicação só serão retomadas na sexta (1°).

Segundo a assessoria da UFRJ, alunos dos cursos de Serviço Social, Psicologia e Psiquiatria estão tendo aulas normais nesta terça. Nesta manhã, a CET-Rio informou que foi reaberto o tráfego na pista sentido Urca, da Avenida Pasteur, na Praia Vermelha. A faixa, que fica junto ao prédio incendiado da UFRJ, estava interditada desde a tarde de segunda-feira (28) para facilitar o trabalho dos bombeiros de combate às chamas e aos trabalhos de rescaldo.

Fogo

Durante toda a noite, bombeiros trabalharam para evitar o aparecimento de novos focos de incêndio no prédio. O interior da capela de São Pedro de Alcântara foi completamente destruído. O local passava por obras de restauração. Um acidente com uma solda pode ter provocado o incêndio.       O fogo, de acordo com informações iniciais, teria começado na escada que leva à capela da reitoria. A antessala ficou coberta de água. Bombeiros usaram água da piscina da universidade e do Iate Clube do Rio de Janeiro, que fica em frente, para apagar as chamas.

O incêndio se alastrou rapidamente e atingiu os três andares do prédio. A estrutura de madeira facilitou a propagação do fogo.

O reitor da UFRJ, Aloisio Teixeira, disse que vai aguardar as investigações sobre as causas do incêndio. Se ficar comprovado que houve falha técnica durante os trabalhos de restauração, a UFRJ vai processar a empresa responsável pela obra. Teixeira garantiu também que o prédio passa por manutenções periódicas e que os extintores foram substituídos recentemente." Ainda nesta terça deve ser feita uma perícia no prédio para determinar as causas do incêndio. O laudo, deve ficar pronto em dez dias.      

veja também