MENU

Após incêndio, moradores reclamam de furtos em favela da Zona Sul de SP

Após incêndio, moradores reclamam de furtos em favela da Zona Sul de SP

Atualizado: Sexta-feira, 24 Setembro de 2010 as 4:09

Quem não perdeu sua casa e seus pertences consumidos pelo fogo que destruiu cerca de 320 barracos da Favela Real Parque, Zona Sul de São Paulo, sofreu com os furtos que ocorreram na região durante o combate ao incêndio. Diversos moradores relataram terem perdido eletrônicos quando deixaram suas casas para fugir das chamas. Por isso, muitas famílias se revezavam para vigiar o que restou.

“Roubaram muitas coisas, roubaram meu botijão de gás, micro-ondas, televisão. Tirei os botijões aqui de dentro para não pegar fogo, coloquei ali fora e levaram embora”, contou a comerciante Adrafran Maia Pereira, de 44 anos. Dona de um bar no mesmo imóvel onde mora, ela guardava o que restou. “Agora eu não vou sair daqui para não roubarem mais.”

A casa da comerciante não foi consumida pelo fogo, mas fica em uma das vielas de acesso que foi utilizada pelos bombeiros para posicionar os caminhões que combatiam o fogo. Ao lado dela, o morador Waldemar Aparecido das Neves, de 47 anos, também reclamava de ter seus eletrodomésticos roubados. “Na hora que eu vi o fogo eu saí apavorado. Deixei tudo. Os pertences a gente arranja outros depois, mas a vida da gente não. Quando vi que o fogo não chegou, voltei e já tinham levado um bujão, uma TV e um aparelho de som”, contou ele.

Dona de um pequeno mercadinho que funcionava dentro da favela, a comerciante Joelma Nascimento de Souza, de 41 anos, olhava desconsolada para o que conseguiu salvar do lugar, que foi isolado pelos bombeiros. No fim da manhã, ela tentava descobrir que produtos poderiam ser ainda aproveitados após serem retirados às pressas. “Eu não tinha aberto o mercado ainda, meu marido me ligou que estava pegando fogo, vim para c;a e consegui tirar só parte das coisas”, contou ela.

No meio da rua se acumulavam prateleiras com produtos e duas geladeiras. “Não conseguimos tirar tudo, e nem sei se o fogo atingiu a parte de trás. É meu ganha pão, se sobrar alguma coisa, a gente trabalha e tenta recuperar.”

De acordo com a Prefeitura, 320 barracos foram atingidos pelo fogo – no total, 1,3 mil famílias vivem na favela. Assistentes sociais estão na área para realizar o cadastramento dos moradores e confirmar o número de atingidos. Dez pessoas tiveram ferimentos leves e receberam atendimento no local. Segundo os bombeiros, além delas, um rapaz caiu do telhado e foi levado para um pronto-socorro pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em estado estável.

O fogo começou por volta das 10h15 na favela da Zona Sul de São Paulo. Os bombeiros começaram o trabalho de rescaldo por volta das 12h50. O major Sílvio Fernandes, do Corpo de Bombeiros, disse que a maior dificuldade no combate ao fogo ocorreu por causa do acúmulo de papelão e madeira em alguns barracos. Os bombeiros ainda não sabem as causas do incêndio, mas, segundo ele, geralmente o fogo em favelas é causado por sobrecarga elétrica.

Moradores que vivem na favela Real Parque contaram que pelo menos dois barracos haviam pegado fogo no fim desta madrugada. Ainda de acordo com eles, o fogo foi apagado rapidamente pelos próprios moradores.

Postado por: Guilherme Pilão

veja também