MENU

Após leilão de aeroportos, PT tenta afastar marca da privatização

Após leilão de aeroportos, PT tenta afastar marca da privatização

Atualizado: Quinta-feira, 9 Fevereiro de 2012 as 7:29

Ricardo Galhardo, enviado a Brasília

Texto que será submetido nesta tarde ao diretório do partido nega semelhança entre operação e processo comandado no governo FHC

 


Texto revisado pelo presidente do PT ainda pode sofrer alterações

Foto: AE

Passado o leilão que concedeu a consórcios privados o controle de alguns dos principais aeroportos brasileiros, o PT tentará nesta quinta-feira se desvincular da marca das "privatizações". O partido vai votar nesta tarde um texto que rejeita a compração entre o leilão concluído nesta semana e a venda de estatais comandada durante o governo do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso.

 

Cafezinho: Aécio e Lindbergh fazem prévia do debate em torno das privatizações

Reação: &Dilma desmistificou o demônio do privatismo&, diz FHC

 

O texto-base apresentado nesta tarde foi produzido pelo secretário-geral do PT, Eloi Pietá, e revisado pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão.

O documento, que ainda será apreciado pelos membros o diretório e pode sofrer alterações, refuta o uso do termo "privatização" para se referir à mudança no controle dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília. O texto afirma que o governo da presidenta Dilma Rousseff realizou apenas uma "concessão", que portanto tem prazo limitado, diferentemente do modelo usado no governo FHC.

Diante do resultado do leilão dos aeroportos nesta semana, líderes do PSDB vieram a público alegando que a operação evidenciou a contradição do PT em relação ao tema das privatizações. O presidente nacional do partido, Sérgio Guerra (PE) disse que os petistas usaram as privatizações para atacar tucanos em campanhas eleitorais e agora "não têm coragem de assumir" sua real posição sobre o tema.  Já o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou que, com o leilão, Dilma "desmistificou o demônio do privatismo".

 

 


Continue lendo...

veja também