MENU

Após reunião no Planalto, MST não descarta nova invasão de prédios

Após reunião no Planalto, MST não descarta nova invasão de prédios

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 11:05

Após três horas de reunião no Palácio do Planalto, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) disse nesta terça-feira (23) não descartar novas invasões de prédios públicos. Neste manhã, integrantes do MST bloquearam a portaria da sede do Ministério da Fazenda, em Brasília, e impediram a entrada de funcionários.

Questionado se o movimento voltará a ocupar prédios do governo como forma de pressão, o coordenador nacional da Vila Campesina e do MST, José Valdir Misnerovicz, afirmou: “Tudo o que será feito vai depender do retorno das negociações. Estamos com expectativa e esperamos que por parte do governo tenhamos retorno a contento. Nós estamos dizendo que continuaremos mobilizados, de plantão, avaliando a cada reunião, a cada retorno, o que fazer”, disse.

Após invadirem o Ministério da Fazenda, líderes dos sem-terra foram recebidos em reunião no Palácio do Planalto pelos ministros da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, além do secretário do Tesouro, Arno Augustin. A audiência foi condicionada à saída dos manifestantes da entrada do edifício. O MST pede que o governo acelere a reforma agrária e amplie o orçamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

“Todos os pontos que foram apresentados, o ministro Gilberto Carvalho assumiu o compromisso de responder ponto a ponto, inclusive a questão do orçamento. Segundo o ministro, essas demandas serão levadas à presidente da República amanhã e ela então, conjuntamente com os ministros, irá se posicionar”, disse Misnerovicz.

Segundo ele, nesta quarta (23) 15 mil integrantes do MST vão participar de mobilizações em Brasília.”O movimento vai sair de forma crescente, mobilizado em todos os Estados. Aqui em Brasília vai ter 15 mil pessoas nessas mobilizações, estamos em continuidade até sexta-feira.”

O líder do MST afirmou esperar que o governo seja “prudente” ao avaliar as reivindicações.

“Aqui em Brasília e nos estados, é importante que todas as mobilizações se intensificarão, e nós estamos com a expectativa bastante grande de que o governo terá sensibilidade, prudência e dará um retorno a essas questões, que o próprio governo reconhece que são demandas justas e necessárias.”

Dilma e CNA

Nesta terça, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com senadora Kátia Abreu (TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura. A senadora disse condenar "fortemente" as invasões do MST a fazendas, mas afirmou desconhecer que os sem-terra haviam ocupado o Ministério da Fazenda.

"Eu não sabia que tinham invadido o ministério, vocês estão me contando agora. Ela [presidente Dilma] não comentou nada", afirmou.  

veja também