MENU

Após suspeita de fraude, Alckmin quer emendas parlamentares na web

Após suspeita de fraude, Alckmin quer emendas parlamentares na web

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 8:17

 G1, em São Paulo imprimir

O governador de SP, Geraldo Alckmin.

(Foto: Paulo Toledo Piza/G1)

  Diante da suspeita de que deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo estão aplicando de maneira irregular os recursos públicos provenientes de emendas ao Orçamento do Estado, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin , anunciou na noite desta segunda-feira (26) que pretende dar “transparência total” ao sistema adotando duas medidas: colocando as emendas que levaram a convênio na internet e publicando todas elas no Diário Oficial paulista. Segundo o governador, a primeira ação começa a valer nesta sexta (30).

As medidas foram anunciadas no dia em que a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital instaurou inquérito civil para apurar a suposta fraude.   O caso veio à tona a partir de denúncia do deputado estadual Roque Barbiere (PTB). De acordo com o deputado, entre 25% e 30% dos deputados estaduais, seus colegas na Casa, estão envolvidos.

“Vão ter duas mudanças. A primeira, até sexta, é colocar na internet todas as emendas que levaram a convênio este ano. Por município, por secretaria e por deputado. É transparência total”, afirmou Alckmin, que esteve no Teatro Municipal para a posse do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf – ele conseguiu a reeleição para mais um mandato de quatro anos.

A segunda ação do governo é tentar que as emendas já façam parte da discussão do Orçamento de 2012. “Vamos conversar com a presidência da Assembleia para que, na elaboração da peça orçamentária deste ano, as emendas já façam parte do orçamento. Quando publicar o Orçamento, publicam-se no Diário Oficial todas as emendas, como é na área federal”, afirmou o governador. Para ele, se ficar comprovado que há fraude, a apuração “será rigorosíssima”.

Também nesta segunda, o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB), informou que o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar vai avaliar as declarações feitas por Barbiere. A decisão foi tomada nesta segunda-feira após reunião entre os líderes dos partidos.

O MP enviou ofício a Barbieri para que preste informações e para que a Casa se manifeste sobre as acusações . Em nota, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo informou que sempre agiu com absoluta transparência.

veja também