MENU

Arrastão no litoral de São Paulo deixa pessoas feridas

Arrastão no litoral de São Paulo deixa pessoas feridas

Atualizado: Terça-feira, 28 Janeiro de 2014 as 6

ferido_arrastão
Um arrastão foi promovido na noite deste domingo (26), no Hipermercado Extra, na Avenida Ana Costa, em Santos, no litoral de São Paulo. Durante a ação, objetos e dinheiro foram roubados da loja. Além disso, algumas pessoas foram agredidas. Entre as vítimas está a cabeleireira Selma Barbosa de Oliveira, de 35 anos de idade, que estava acompanhada de sua família e chegou a levar golpes de jovens que seguravam extintores de incêndio.
 
A mulher, ainda traumatizada com o episódio, lembra que o grupo foi cercado por aproximadamente 60 jovens, que teriam promovido o tumulto. “Eles estavam açoitando os carrinhos do supermercado, jogando-os em cima das pessoas. Estava uma algazarra muito grande, pois eles estavam quebrando tudo e havia lixo espalhado. Tinha muita fumaça no estacionamento e não dava para ver nada”, conta.
 
No Boletim de Ocorrência registrado no 7º Distrito Policial (DP) de Santos, constam seis vítimas, todas elas da mesma família, incluindo um menino de apenas dois anos. Eles tinham ido até o estabelecimento para comprar um bolo de aniversário para a criança. Mas, quando eles retornaram ao estacionamento, perceberam que o carro estava arrombado e vários pertences tinham sido roubados.
 
Quando encontrou o carro, Selma subiu para comunicar o gerente do supermercado sobre o furto. Porém, ao descer, a cabeleireira foi surpreendida. “Vi cerca de 60 adolescentes entrando e falei que eles tinham que tomar cuidado, pois era aquele tal de ‘rolezinho’. Só que, quando nós descemos, já estava tudo acontecendo. Eles partiram para cima do nosso carro e jogaram um extintor, que pegou na criança, na parte de trás do veículo”, relata.
O irmão de Selma, John Barbosa de Oliveira, de 29 anos, ficou bastante machucado. O homem está internado em estado grave no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Santos. “O meu irmão saiu para poder se defender, mas eles foram com tudo para cima. Eu fui atingida por um extintor, me agachei porque estava sangrando muito e o vi ser golpeado com um extintor também. Os jovens batiam com extintores. O meu irmão estava do meu lado. Nesse momento, ele começou a ficar tonto, caiu no chão e eu fui tentar socorrê-lo”, relembra.
 
Advogados defendem menores 
Os advogados de três menores que se apresentaram ao Fórum de Justiça de Santos, na tarde de segunda-feira (27), alegam que seus clientes não participaram da confusão. “Houve uma baderna generalizada. Eles tentaram sair e foram impedidos. Nesse momento, a polícia começou a apreender quem estava por perto. Como eles não correram, foram detidos”, diz Dárcio César Marques, que defende dois destes adolescentes, um de 15 e o outro de 17 anos.
A mesma justificativa é dada pelo advogado de um jovem de 14 anos. “Ele tem uma conduta regrada, possui uma família estruturada e está inserido nos bancos escolares. Ele nega veementemente os fatos que foram imputados a ele”, comenta Eduardo Jorge Lira de Freitas. A explicação do segundo advogado, porém, é rebatida por Selma. “O menor que deu uma voadora na cabeça do meu irmão é o de 14 anos”, destaca a cabeleireira.
 
O caso
Um arrastão ocorreu, no fim da noite deste domingo (26), no Hipermercado Extra, na Avenida Ana Costa, em Santos, no litoral de São Paulo. Cerca de 200 adolescentes entraram no local e alguns deles agrediram seis pessoas. Uma delas, que era cliente do supermercado, foi atingida por um extintor de incêndio na cabeça e precisou ser internada no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Santos. Além disso, outra mulher também foi agredida e teve um dente quebrado.
O caso foi registrado no 7º Distrito Policial (DP) de Santos e, segundo o Boletim de Ocorrência, um grupo de jovens teria deixado uma casa noturna próxima ao local antes de promover o arrastão no estabelecimento. Os suspeitos teriam roubado bebidas, salgadinhos e chocolates. Eles também agrediram pessoas que faziam compras no supermercado. Segundo testemunhas, aparelhos celulares, tablets e outros itens também teriam sido furtados de clientes.
 

veja também