MENU

Arruda passou a noite em claro, diz chefe da Casa Militar do DF

Arruda passou a noite em claro, diz chefe da Casa Militar do DF

Atualizado: Sexta-feira, 12 Fevereiro de 2010 as 12

Um dos primeiros integrantes do governo a visitar o governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), o chefe da Casa Militar, coronel Ivan Rocha, disse ter encontrado uma Arruda "sofrido", sem dormir e em "situação humilhante". "Ninguém consegue dormir numa situação como essa. Ele está sofrido, mas está bem. É uma situação humilhante a um governador de estado", disse Rocha.

O chefe da Casa Militar também disse que Arruda está confiante e aproveitou para criticar a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de mandar prender o governador: "Ele está confiante na Justiça. Em 32 anos de serviço nunca vi ninguém ser preso sem ser ouvido, sem ter direito ao amplo direito de defesa."

Habeas corpus

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir ainda na manhã desta sexta (12) se concede ou não o habeas corpus a Arruda, disse o ministro Marco Aurélio Mello, responsável pelo pedido.

À repórter Gioconda Brasil, da TV Globo, ele afirmou que, depois de "32 anos de magistratura", o caso de Arruda não será complicado - mas que é sim uma situação "emblemática."

Mello disse que, na decisão, que pode sair por volta do meio-dia, vai prevalecer o "bom direito e o respeito às regras." "É o preço que se paga por vivermos num estado democrático de direito. Um preço módico que está ao alcance de todos, inclusive do governador", afirmou.

No momento, o governo do DF é chefiado interinamente pelo vice, Paulo Octávio (DEM).

Um grupo de manifestantes contra o governador fez vigília no STF com luz de velas, pedindo que o habeas corpus não fosse concedido. A expectativa era que a decisão de Mello fosse divulgada ainda na noite desta quinta-feira (11), mas o ministro resolveu que não o faria ontem.

veja também