MENU

'As artes marciais não são violentas', diz Jolie sobre 'Kung Fu Panda 2'

'As artes marciais não são violentas', diz Jolie sobre 'Kung Fu Panda 2'

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2011 as 11:01

Três anos depois do primeiro "Kung Fu Panda", o personagem título da animação da Dreamworks interpretado por Jack Black finalmente se dá conta de algo que passara "quase" despercebido antes: o ganso que o criou desde pequeno não é seu pai biológico. A revelação confunde a cabeça do panda, já naturalmente trapalhão, e coloca em risco a vida dele e de toda a China, agora ameaçada por um pavão vingativo - dublado na versão original por Gary Oldman.

Se no longa original o improvável herói tinha que provar que era digno de se tornar o grande Dragão Guerreiro, neste ele precisa convencer a todos que continua a merecer o título, apesar dos vários sinais contrários. Como ensina o sábio Mestre Shifu, na voz de Dustin Hoffman, ele precisará encontrar a sua "paz interior" - além dos seus pais verdadeiros, é claro.

"É na família onde está o amor. E o filme fala sobre isso: sobre como se pode ser o que quiser sem se importar de onde vem ou como você é, apenas confiando em sua própria força", disse nesta manhã em Cannes a atriz Angelina Jolie, que torna a dublar a tigresa nesta continuação.

Jolie está em Cannes com o marido, Brad Pitt, e os seis filhos - naturais e adotados. Perguntada sobre a influência das artes marciais no público infantil, a atriz negou que elas fossem "violentas". "Meus filhos têm aulas [de artes marciais] e aprendem sobre respeito e controle dos seus corpos. A defender-se só em caso em que tenham de fazê-lo, mas preferencialmente a não ter de recorrer a ela", disse ela, que, no entanto, elege "A pantera cor-de-rosa" como seu desenho favorito na infância.

Mas para além do lenga-lenga de coragem, honra e superação, o fato é que "Kung Fu Panda 2" dá um salto tecnológico claro em relação ao antecessor. Gozando do conhecido expertise em animação do estúdio Dreamworks, o filme não só consolida a mistura de estéticas já experimentada no primeiro longa (2D, 3D, teatro de sombras etc.) como avança na qualidade dos detalhes e texturas dos personagens e cenários.

veja também