MENU

"As Melhores Coisas do Mundo" leva oito prêmios do Festival de Cinema de Pernambuco

"As Melhores Coisas do Mundo" leva oito prêmios do Festival de Cinema de Pernambuco

Atualizado: Segunda-feira, 3 Maio de 2010 as 2:08

No title A premiação da 14ª edição do Cine PE Festival do Audiovisual, aconteceu na noite deste domingo (8). A cerimônia foi realizada no recém-reformado Cine São Luiz, no Centro de Recife.

O Cine PE exibiu, entre 26 de abril e 2 de maio, 63 filmes. O festival teve como palco principal o Teatro dos Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, que este ano reuniu mais de 30 mil pessoas.

O filme As melhores coisas do mundo, da diretora Laís Bodanzky, levou o troféu Calunga em oito categorias: Melhor filme, ator (Francisco Miguez), roteiro(Luiz Bolognesi), direção, prêmio da crítica, edição de som (Alessandro Laroca), direção de arte (Cássio Amarante) e fotografia (Mauro Pinheiro Jr).

O Júri Popular deu o prêmio de Melhor Filme para O Homem Mau Dorme Bem, de Geraldo Azevedo.

Os vencedores da premiação:

Longas-Metragens

Melhor Filme: As Melhores Coisas do Mundo, de Laís Bodanzky.

Direção: Laís Bodanzky, por As Melhores Coisas do Mundo.

Ator: Francisco Miguez, por As Melhores Coisas do Mundo.

Atriz: Paloma Duarte, por Léo e Bia (de Oswaldo Montenegro).

Atriz Coadjuvante: Mariana Nunes, por O Homem Mau Dorme Bem (de Geraldo Moraes).

Ator Coadjuvante: Bruno Torres, por O Homem Mau Dorme Bem (de Geraldo Moraes).

Roteiro (prêmio dividido): Luiz Bolognesi, por As Melhores Coisas do Mundo (de Laís Bodanzky) E Wolney Atalla e Caio Cavechini por Seqüestro (de Wolney Atalla).

Fotografia: Mauro Pinheiro Jr., por As Melhores Coisas do Mundo (de Lais Bodanzky).

Montagem: Marcelo Moraes e Marcelo Bala, por Seqüestro (de Wolney Atalla).

Trilha Sonora: Oswaldo Montenegro, por Léo e Bia (de Oswaldo Montenegro).

Direção de Arte: Cássio Amarante, por As Melhores Coisas do Mundo.

Edição de Som: Alessandro Laroca, por As Melhores Coisas do Mundo.

Prêmio Especial do Júri: Rogério Fróes, por Não Se Pode Viver Sem Amor (de Jorge Durán)

Melhor Filme/Júri Popular: O Homem Mau Dorme Bem.

Prêmio da Crítica: As Melhores Coisas do Mundo.

Curtas metragens

Melhor Curta-Metragem: Bailão, de Marcelo Caetano.

Diretor: Kleber Mendonça Filho, por Recife Frio.

Atriz: Zezita Matos, por Azul (de Eric Laurance)

Ator: Ricardo Lilja, por Amigos Bizarros do Ricardinho (de Augusto Canani)

Roteiro: Kleber Mendonça Filho, por Recife Frio.

Fotografia (prêmio dividido): Ivo Lopes Araújo, por A Montanha Mágica (de Petrus Cariry) E André Lavenère, por A Noite por Testemunha (de Bruno Torres).

Direção de Arte: Juliano Dornelles, por Recife Frio.

Melhor Montagem: Lucas Gonzaga, por Amigos Bizarros do Ricardinho (de Augusto Canani).

Trilha Sonora: Revertere AD Locum Tuum (de Armando Mendz)

Edição de Som: Vinícius Leal e Jessé Marmo, por Geral (de Anna Azevedo).

Melhor Curta-Metragem/Júri Popular: A Noite Por Testemunha, de Bruno Torres

Prêmio Especial do Júri: Circuito Interno, de Júlio Martí.

Menção Honrosa do Júri: ZÉ (S), de Piu Gomes.

Prêmio da Crítica: Geral, de Anna Azevedo.

Prêmio Aquisição Canal Brasil: Faço de Mim o Que Quero, de Sergio Oliveira e Petrônio Lorena.

Curtas-Metragens em digital

Melhor Curta-Metragem Digital: Áurea (de Zeca Ferreira).

Diretor: Allan Ribeiro, por Ensaio de Cinema.

Roteiro: Maria Camargo, por Se Meu Pai Fosse de Pedra.

Montagem: Luelane Corrêa, por Áurea (de Zeca Ferreira).

Melhor Curta-Metragem/Júri Popular: Tanto, de Nataly Callai

Prêmio Especial do Júri: À Fotografia de Áurea (de Zeca Ferreira).

Prêmio da Crítica: Áurea, de Zeca Ferreira

Menção Honrosa: Sweet Karolynne, de Ana Bárbara Ramos (PB).

Mostra Pernambuco

A produção cinematográfica local teve 19 filmes exibidos sendo 16 curtas e três longas-metragens. Esta apresentação foi realizada pelo terceiro ano consecutivo.

Os prêmios foram de R$ 10 mil para melhor longa-metragem e de R$ 5 mil e R$ 2 mil, respectivamente, para os dois melhores curtas. Os vencedores foram selecionados pelo júri oficial do Cine PE composto por Vera de Paula (produtora), Zelito Viana (cineasta) e por Marcos Cesar Sampaio (SESI de Alagoas).

Melhor Longa-Metragem: Porta a Porta, de Marcelo Brennand

Melhor Curta-Metragem (1º colocado): Tereza Cor Na Primeira Pessoa (Amaro Filho e Marcilio Brandão

Curta-Metragem (2º colocado): Tchau e Bênção, de Daniel Bandeira

Prêmio especial do público

Longa-metragem: O homem mau dorme bem, de Geraldo Moraes

Curta-metragem digital: Tanto, de Nataly Kallai

Curta-metragem em 35 mm: A noite por testemunha, de Bruno Torres

Prêmio ABD PE (Associação Brasileira de Documentaristas) para curta-metragens  

Curta-metragem digital: Ensaio de cinema, de Allan Ribeiro

Curta-metragem 35 mm: Nego fugido, de Claudio Marques e Marília Hughes Geurreiro

Prêmio da crítica:

Longa-metragem: As melhores coisas do mundo, de Laís Bodanzky

Curta-metragem digital: Áurea, de Zeca Ferreira

Curta-metragem 35 mm: Geral, de Anna Azevedo

Prêmios especiais:

Menção honrosa para curta digital: Sweet Karolyne, de Anna Barbara Ramos

Menção honrosa para curta em 35 mm: Zé(s), de Piu Gomes

Prêmio especial do júri para curta em 35 mm: Circuito interno, de Júlio Martí

Prêmio especial do júri para ator por contribuição ao cinema nacional: Rogério Fróes, por Não se pode viver sem amor, de Jorge Durán.

Prêmio da Federação Pernambucana de Cineclubes:

Longa-metragem: Não se pode viver sem amor, de Jorge Durán

Curta-metragem: Faço de mim o que quero de Sérgio Oliveira e Petrônio de Lorena

veja também