MENU

Assalto a motoristas deixa um ferido em avenida do subúrbio do Rio

Assalto a motoristas deixa um ferido em avenida do subúrbio do Rio

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 8:42

Uma mulher foi baleada de raspão na noite desta quinta-feira (14) durante um assalto na Avenida Pastor Martin Luther King Júnior, em Costa Barros, no subúrbio do Rio de Janeiro. As informações são da Polícia Militar. Segundo a PM, ela foi ferida por criminosos que assaltavam motoristas, na altura do Morro da Pedreira. Não há informações de outros feridos.

O crime aconteceu por volta das 21h desta quinta-feira, na pista sentido Madureira, também no subúrbio. De acordo com as primeiras informações da polícia, a vítima e um casal de amigos passavam de carro pela avenida, quando foram rendidos por criminosos armados com pistola e metralhadora.

A vítima, ainda segundo a polícia, teria sido baleada após ter se assustado com a ação dos criminosos. A mulher foi socorrida no Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, no subúrbio. A sala de polícia do hospital informou que ela foi atingida de raspão na axila. Ela foi medicada e liberada em seguida.

Policiais da 39º DP (Pavuna) informaram que, pelo menos, outras dez pessoas foram assaltadas pelos mesmos criminosos na Avenida Martin Luther King Júnior. Os assaltantes teriam fugido com um carro, bolsas, carteiras, telefones e relógios dos ocupantes de outros três carros. A PM, no entanto, diz não ter informações sobre arrastão na via.

Violência no Rio

O assalto em Costa Barros aconteceu uma semana depois de a capital começar a sofrer com uma sequência de arrastões em vários pontos da cidade. Na manhã de quarta (6), seis vítimas do arrastão ocorrido no Elevado Paulo de Frontin , no Rio Comprido, Zona Norte, registraram queixa na 6ª DP (Cidade Nova).

Segundo as vítimas, um Peugeot foi roubado na Rua São Francisco Xavier, na Tijuca, na Zona Norte, por volta das 6h40. Duas pessoas estavam dentro do primeiro carro roubado. Cerca de uma hora depois, quatro criminosos, no carro roubado na Tijuca, bloquearam o trânsito no Elevado, no sentido Centro e fizeram mais roubos. O arrastão ocorrido nesta manhã é o segundo no mesmo local em menos de 12 horas . Na noite anterior, um arrastão ocorreu na mesma via.   À tarde, numa operação da Polícia Civil no Morro da Mangueira , na Zona Norte, para recuperar um carro roubado usado no arrastão, o menino Matheus Peres Viana, de 13 anos, foi baleado e morreu. Além dele, outras duas pessoas foram atingidas por tiros. Segundo a Polícia Civil, as duas vítimas são moradores da comunidade.

Em 27 de setembro, quatro motoristas foram assaltados na Estrada do Joá , na Zona Sul. Na mesma noite, em Anchieta, ladrões levaram três carros. No dia seguinte, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, bandidos chegaram a manter um aposentado refém por mais de uma hora. E no Jacaré, no subúrbio da cidade, quatro motoristas foram vítimas de uma quadrilha de 15 homens.

No dia 29, no Jardim Botânico, na Zona Sul, assaltantes usaram até granadas e roubaram também pedestres.

Polícia Civil anuncia mudanças

Depois de trocar o comando de 19 batalhões e unidades da Polícia Militar , a Secretaria de Segurança do Rio anunciou mudanças também na Polícia Civil. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (13), o chefe de Polícia Civil, Allan Turnowski, listou oito novos nomes em postos da cúpula da instituição.

"São mudanças necessárias para a continuidade dos projetos que estão em andamento. Nunca os diretores de departamento tiveram tanta força na Polícia Civil como têm hoje e eles é que vão determinar mudanças em delegacias", explicou Turnowski, reiterando que os nomes foram um consenso entre ele e o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, que, na última terça-feira (12), já havia adiantado que faria mudanças.

O chefe de polícia disse ainda que as mudanças representam decisões de um novo governo e foi preciso esperar que o seu nome fosse confirmado no cargo que ocupa para anunciá-las. Entre os projetos tidos como prioridade para continuar sendo implementados estão as divisões de homicídios, a restruturação administrativa da Polícia Civil, a Cidade da Polícia e a Dedic (Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão).    

veja também