Assustado, jogador pede dispensa e só retoma as atividades no Palmeiras na próxima segunda-feira

Depois de sequestro-relâmpago, Valdivia viaja para o Chile

Atualizado: Sexta-feira, 8 Junho de 2012 as 11:13

Depois de sofrer um sequestro-relâmpago na noite da última quarta-feira, em São Paulo, o meia Valdivia, do Palmeiras, viajou para o Chile . Assustada com o acontecimento, a esposa do jogador, Daniela, pediu que o casal voltasse ao seu país de origem para se recuperar do susto. Assim, ele não enfrenta o Atlético-MG neste sábado, às 21h (horário de Brasília), pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O Mago se reapresentará ao time do Palestra Itália na segunda-feira.


De acordo com informações da Polícia Militar, que registrou boletim de ocorrência feito por Valdivia, o chileno estava com sua mulher em uma videolocadora na Avenida Sumaré, zona oeste da capital paulista, quando foi rendido por um assaltante armado, que circulou com o casal por cerca de três horas e levou mil reais do jogador.


O jogador foi deixado em uma loja de peças automotivas, na Avenida Marquês de São Vicente, próximo ao CT do Palmeiras, por volta das 23h desta quarta. Assim que o bandido o liberou, Valdivia telefonou para a PM, pedindo auxílio. Foram os PMs que registraram o Boletim de Ocorrência, já que o casal não tinha condições de ir a uma delegacia. Em entrevista a um canal chileno, o pai do atacante disse que tanto seu filho quanto a esposa estavam em “estado de choque”.


De acordo com a assessoria de imprensa do clube, o responsável pelo sequestro relâmpago foi embora de táxi após o acontecimento. Ele não reconheceu o atleta e chegou a perguntar qual era seu nome e o que fazia. Ao dizer que era jogador de futebol do Palmeiras e que se chamava Jorge, o bandido estranhou, dizendo não conhecer nenhum atleta com esse nome no Alviverde.
Se o técnico Luiz Felipe Scolari seguir a tendência que vem adotando, Valdivia deve dar lugar a Daniel Carvalho na partida deste fim de semana. Com duas derrotas e um empate em três jogos, o Palmeiras tenta sua primeira vitória no Brasileirão contra o Atlético-MG, em partida que deve marcar a estreia de Ronaldinho Gaúcho pela equipe mineira.


Outros casos
Sequestros envolvendo jogadores de futebol já ganharam os noticiários, principalmente entre os anos de 2004 e 2006. Na ocasião, nomes como Grafite, Rogério, Marinho, Michael, Kleber, Ricardo Oliveira, Robinho e Luis Fabiano tiveram familiares sequestrados no estado de São Paulo. Em todos os casos, as vítimas foram liberadas.
Em 1994, o ex-jogador e atualmente deputado federal Romário viveu drama semelhante. Seu Edevair de Souza Faria, pai do craque, ficou onze dias em cativeiro no Rio de Janeiro, mas acabou libertador pela polícia antes da disputa da Copa do Mundo, nos Estados Unidos.

veja também