MENU

Audiência pública discute nova rodoviária de BH

Audiência pública discute nova rodoviária de BH

Atualizado: Segunda-feira, 9 Agosto de 2010 as 11:14

Moradores dos bairros São Paulo, São Gabriel e de outros situados nas proximidades da área onde a PBH planeja construir o novo Terminal Rodoviário da capital, na Região Nordeste da cidade, começam a debater os impactos do empreendimento em suas comunidades. Está prevista para esta segunda-feira, no Bairro São Paulo, uma audiência pública para debater a questão.

A realização da audiência é uma exigência legal e o primeiro passo no processo de obtenção do licenciamento ambiental do empreendimento . O encontro ocorre no CAC São Paulo, na Rua Manoel Alexandrino, 600, Bairro São Paulo, e contará com a presença de todas as partes interessadas , incluindo os representantes das comunidades diretamente atingidas pelas obras.

Pontos polêmicos, que preocupam os moradores, serão debatidos na reunião desta segunda-feira, como a desapropriação e remoção das famílias, os incômodos causados pelas obras, corte de árvores, aumento da impermeabilização do terreno, expansão da demanda no posto de saúde e do volume de tráfego no entorno, entre outros.

A audiência pública também permitirá a discussão de pontos positivos, que a construção do novo terminal rodoviário trará para a região, como a geração de empregos temporários e permanentes, a melhoria urbanística, aumento da oferta de espaços para hospedagem e comércio, a criação de novo polo de desenvolvimento na região e a valorização dos imóveis situados no entorno do empreendimento.

Como será

O projeto do Terminal Rodoviário São Gabriel prevê a construção de dois setores distintos: um, mais próximo da Estação BHBUS São Gabriel, destinado ao terminal rodoviário propriamente dito; e o segundo, na porção nordeste, voltado a atividades comerciais e de serviços. A rodoviária possuirá três pavimentos, com área aproximada de 35, 5 mil m², ligados por passarelas à Estação BHBUS São Gabriel e também ao empreendimento comercial a ser implantado no outro lado do terreno.

Um dos diferenciais previstos para o empreendimento é a construção de um hotel ligado ao terminal e que ficará no centro comercial. O projeto prevê um hotel com 14 pavimentos e 240 apartamentos. Já o centro comercial, além das lojas, será equipado com um supermercado e praça de alimentação.

Indenizações

A questão das desapropriações é a que mais preocupa os moradores. Representantes de comunidades do Bairro São Gabriel já anunciaram que vão acionar o Ministério Público para que acompanhe as negociações com a prefeitura. Eles alegam que a administração municipal tem dado poucas informações sobre os valores a serem pagos e a data do início da remoção dos moradores, além de tentar atrasar o acordo indenizatório.

Maurício Nascimento Rodrigues, presidente da Associação da Vila Minaslândia, no São Gabriel, disse que a estratégia da PBH “é pressionar para fazer uma negociação rápida”, lembrando que, pelo cronograma inicial das obras, a construção do terminal deverá ser iniciada em fevereiro e que o prazo de pouco mais de seis meses é insuficiente para assegurar o pagamento de quem for retirado da área.

Ele ainda questiona o fato de a prefeitura não ter repassado o valor dos lotes e se o cálculo será baseado no metro quadrado ou no número de cômodos de cada moradia a ser desapropriada.     Postado por: Thatiane de Souza

veja também