MENU

Aumento da violência no interior preocupa paulistas

Aumento da violência no interior preocupa paulistas

Atualizado: Segunda-feira, 2 Agosto de 2010 as 9:28

Questões relativas à segurança devem ser uma das prioridades do futuro governador de São Paulo. O Bom Dia São Paulo exibirá às segundas-feiras a série de reportagem “Desafios São Paulo”, mostrando temas que estarão na agenda dos candidatos ao governo do estado. Na primeira reportagem da série, o repórter Fernando Rocha mostrou que a violência passou a preocupar cidades do interior.

A cidade de Fernandópolis, por exemplo, passou a adotar o toque de recolher para crianças e adolescentes. No município, crianças e adolescentes não podem ficar na rua após as 22h desacompanhado Em uma blitz, a polícia apura a denúncia de que menores frequentam um bar após o horário permitido pelo toque de recolher. Um menor foi detido. “Vamos conduzi-lo até a sede do Conselho Tutelar, apresentá-lo ao juiz pra ver qual a providência que nos vamos tomar”, explica a presidente do Conselho Tutelar de Fernandópolis, Célia Fontes Mafra.

Na praça central da cidade, outros flagrantes. Os adolescentes são revistados. Maconha e bebidas alcoólicas são encontradas. O toque de recolher em Fernandópolis já dura cinco anos e conta com a aprovação dos pais. Segundo o juiz da Vara da Infância e da Juventude Evandro Pelarin, a violência vem diminuindo desde 2005 na cidade.

“Meninos e meninas que faziam uso de bebida alcoólica ou exposição à prostituição, nesses cinco anos caiu muito esse índice. Nós tivemos 40, 50 adolescentes recolhidos por noite em finais de semana e hoje esse numero caiu muito, muito menos de dez”, diz.

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo mostram que os homicídios diminuíram na capital e aumentaram no interior. Na capital, foram 1.263 homicídios em 2008 e 1.235 em 2009. No interior, foram 1.821 em 2008 e 2.120 no ano passado.

A tranquila Taubaté, por exemplo, já não é mais tão tranquila assim. Em 20 anos que tem a loja, o comerciante José Edson dos Reis já foi assaltando 25 vezes. “Vinte e cinco assaltos com a mão armada, com revólver”, conta. Até mesmo a câmera de segurança que ele instalou para flagrar a ação de criminosos foi roubada.

Nas cidades de Taubaté e Tremembé existem seis presídios, o que se tornou motivo de preocupação para os moradores. “Isso traz uma população flutuante muito grande que vem visitar os presos e esse aumento nesses finais de semana também favorece a atuação dos marginais”, diz o presidente do Conselho de Segurança de Taubaté, Luciano Brandão.

veja também