MENU

Bancos de SP terão que rever sistema que mancha notas, diz delegado

Bancos de SP terão que rever sistema que mancha notas, diz delegado

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 1:50

Notas foram colocadas em filtro para serem limpas quimicamente (Foto: Carolina Iskandarian /G1)

  O delegado Nelson Silveira Guimarães, diretor do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), disse nesta segunda-feira (6) que os bancos vão precisar rever o sistema de segurança que mancha notas de dinheiro para evitar furto em caixas eletrônicos em São Paulo. O motivo é que, segundo Guimarães, pela primeira vez a polícia encontrou esse dinheiro com tinta rosa imerso em uma substância para limpá-lo. Alguns caixas têm um dispositivo que mancha as cédulas, tornando-as inutilizáveis, no momento em que os criminosos violam o caixa.     “Foi uma surpresa. Achávamos que os criminosos iam achar alguma forma de neutralizar (esse dispositivo de segurança), mas não que fosse tão rápido. As notas estão praticamente limpas. O pessoal dos bancos vai ter que pensar em outra solução porque essa parece que não está funcionando mais”, afirmou o delegado, durante uma entrevista coletiva no Deic. As cédulas que foram encontradas dentro de um filtro d'água vão para a perícia para saber que tipo de substância foi usada.

Segundo Guimarães, a ação desta segunda-feira é continuação da Operação Caixa Preta, que busca desmantelar quadrilhas que atacam caixas eletrônicos na capital e Grande São Paulo. Com os cinco detidos agora, Guimarães contou que sobe para 31 o número de presos. Sete são policiais militares presos em ações diferentes, mas não nesta segunda.A polícia suspeita que há cerca de cem pessoas nesse esquema de ataques a caixas.

Delegado afirma não saber se pistolas em 'metal

amarelo' são banhadas a ouro (Foto: Carolina

Iskandarian /G1)

  Guimarães contou que os cinco presos têm passagem pela polícia e todos praticaram furto contra caixas eletrônicos. As ações foram nas zonas Norte, Leste e Oeste. Na casa dos detidos, os policiais do Deic disseram ter encontrado um fuzil, munição, 3 kg de maconha e cocaína, o filtro com as notas de R$ 50 (o valor total não havia sido contado até as 13h), relógios e joias. Entre o material apreendido, há duas pistolas que, segundo o delegado, são banhadas em “metal amarelo” “Não sabemos se é ouro.

Eles fazem isso para chamar a atenção", disse o delegado. A Secretaria de Segurança Pública, por sua vez, informou ao G1 por volta das 11h30 que as armas eram banhadas a ouro.          

veja também