MENU

Barcas da linha Praça XV-Niterói voltam a fazer viagens extras

Barcas da linha Praça XV-Niterói voltam a fazer viagens extras

Atualizado: Quarta-feira, 30 Novembro de 2011 as 8:43

Passageira passou mal ainda dentro do catamarã

(Foto: Luana Freitas/Arquivo Pessoal) As barcas da linha Praça XV-Niterói voltaram a fazer viagens extras na manhã desta quarta-feira (30). O serviço estava suspenso desde segunda-feira (28) , quando o catamarã Gávea 1 colidiu no píer da Praça XV , no Rio. No momento do acidente, 900 passageiros estavam na embarcação.

De acordo com a concessionária Barcas S/A, a movimentação é intensa na Praça Araribóia, em Niterói, na Região Metropolitana. Há filas de acesso à estação. O tempo de espera é de aproximadamente 5 minutos.

No trajeto Niterói-Praça XV, as partidas acontecem a cada 10 minutos. Já para os usuários da linha de Charitas, os catamarãs partem a cada 15 minutos.

Feridos recebem alta

Todas as vítimas feridas no acidente com o catamarã receberam alta na terça-feira (29) , segundo as secretarias estadual e municipal de Saúde. Das 55 pessoas feridas, 16 sofreram  escoriações e 39  ferimentos leves.

Segundo os bombeiros, 25 pacientes foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Já os casos de mais complexidade foram distribuídos entre os hospitais Souza Aguiar, no Centro (8 feridos), Miguel Couto, no Leblon (17), e Salgado Filho, no Méier (5 feridos). Problemas na atracação

Segundo o gerente das Barcas Mário Goes, o catamarã teve problemas na atracação na chegada ao Rio, vindo de Niterói, e bateu num pier já desativado da estação. "A comandante tirou a embarcação de perto da estação, fez a parada total, jogando a âncora e iniciou as providências de socorro aos feridos", explicou Liberalli.

Ele disse ainda que os bombeiros foram chamados e chegaram rapidamente. Foi quando o Gávea 1 atracou e os bombeiros entraram pra fazer a triagem dos feridos.

A concessionária explicou que, após avaliação de equipe técnica da empresa, foi apurado que realmente algumas cadeiras se quebraram e/ou soltaram, por conta do impacto, conforme relataram alguns passageiros. 

Investigação

A Capitania dos Portos instaurou um inquérito para apurar as causas do acidente, que deve ficar pronto em 90 dias. A Agetransp também abriu um processo regulatório sobre o acidente.

A embarcação Gávea I ficará fora de circulação por tempo indeterminado, para reparos e testes.        

veja também