MENU

Batalhão de Choque mantém 80 policiais no Vidigal e na Rocinha

Batalhão de Choque mantém 80 policiais no Vidigal e na Rocinha

Atualizado: Quinta-feira, 10 Novembro de 2011 as 8:49

Cerca de 80 homens do Batalhão de Choque permanecem nesta quinta-feira (10) nas favelas da Rocinha e do Vidigal, na Zona Sul do Rio. Segundo o tenente Leonardo Novo, da corporação, o cerco é por tempo indeterminado. Moradores e motoristas que passam pelo local são revistados, mas não há presos.

Prisão de Nem

No início da madrugada, policiais militares do Batalhão de Choque prenderam o traficante Antônio Bonfim Lopes, conhecido como "Nem" , apontado como chefe do tráfico de drogas da Rocinha. Ele era considerado pela polícia como um dos traficantes mais procurados do Rio.

O traficante foi preso por volta de meia-noite, na Lagoa, também na Zona Sul, quando tentava fugir escondido no porta-malas de um carro preto. No veículo ainda estavam mais dois homens, que também foram presos.

Homens do Batalhão de Choque faziam revistas nos acessos da comunidade da Rocinha quando o carro foi interceptado. Dois homens estavam no veículo, mas eles se negaram a abrir o porta-malas. Segundo a polícia, os homens se apresentaram como um funcionário do Consulado do Congo e um advogado, e seriam escoltados até uma delegacia.

Nem, ao chegar à sede da PF, na Zona Portuaria

do Rio (Foto: Reprodução / Globo News) Mas segundo a polícia, no trajeto para a delegacia, os homens pararam na região da Lagoa.

Propina

Os agentes contaram, ainda, que os homens teriam oferecido propina entre R$ 20 e R$ 30 mil para seguir viagem. Os policiais do Choque não aceitaram o suborno. A Polícia Federal (PF) foi chamada e o porta-malas foi arrombado e lá estava o Nem da Rocinha.

O traficante foi levado em comboio para a sede da PF, na Zona Portuária. A Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) deu apoio à ação.

Mais cedo, a agentes da Polícia Federal prenderam policiais que escoltavam traficantes que fugiam da Rocinha. Ao todo, foram 10 presos na Gávea, próximo à Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Eles também foram levados para a sede da PF. UPP

O Ministério da Defesa vai mandar homens da Marinha e equipamentos militares para a ocupação do morro da Rocinha. Apesar do ministério não confirmar formalmente a participação na operação, o pedido de apoio logístico ao Ministério da Defesa foi feito há cerca de dez dias pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

A previsão é de que a ocupação aconteça no próximo domingo (13).

A Marinha usará na operação os mesmos blindados utilizados na tomada das comunidades do Complexo do Alemão e da Vila Cruzeiro, os chamados Clanfs (carros lagartas anfíbios). Os blindados serão operados por fuzileiros navais e também ajudarão no transporte dos policiais militares durante a entrada no morro.

Moradores assustados

Moradores do bairro ficaram assustados com a ação policial. Uma estudante que não quis se identificar estava no shopping e relatou um princípio de correria entre os clientes.

O advogado Celso Barreto, morador do bairro, acompanhou a ação dos policiais pela janela de casa. "O carro parou em frente ao Shopping da Gávea com a sirene ligada, quando saltaram cinco policiais com colete e foram correndo até Rua Arthur Araripe. Os policiais foram profissionais. Não saiu tiro e a população aplaudiu a ação. Fiquei impressionado com a agilidade da ação da polícia, que durou cerca de 15 minutos", disse.

Um dos traficantes presos é conhecido pelo apelido de “Peixe” e o outro é o traficante “Coelho”, um dos principais comparsas de Nem. Perto ao local da prisão, em frente ao Jóquei, uma outra equipe da PF abordou um carro que transportava fuzis e granadas.          

veja também