MENU

Bienal de São Paulo cobre com papel retratos de Serra e Dilma

Bienal de São Paulo cobre com papel retratos de Serra e Dilma

Atualizado: Quinta-feira, 23 Setembro de 2010 as 10:24

Após decisão judicial, funcionários da Bienal de São Paulo, que será aberta ao público no próximo sábado, cobriram hoje a obra do argentino Roberto Jacoby.

Curadores da mostra receberam uma notificação da Procuradoria Regional Eleitoral de SP que afirmava "ser vedada a veiculação de propaganda nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão do poder público".

"El Alma Nunca Piensa Sin Imagen", obra de Jacoby, era uma instalação que reproduzia a campanha política no pavilhão do Ibirapuera, em que assistentes do artista apoiavam a candidata Dilma Rousseff (PT), distribuindo material promocional. "Somos obrigados a retirar a obra sob risco de cometer um crime eleitoral", disse à Folha o curador-geral da Bienal, Moacir dos Anjos. "É um crime porque é um prédio público que está sendo usado para campanha."

Agnaldo Farias, outro curador-geral da mostra, disse que o projeto apresentado por Jacoby tratava de uma campanha fictícia. "Ficamos perplexos quando vimos que se tratava da campanha real", afirmou. "Sabíamos que teríamos problemas."

A diretoria da Bienal então enviou carta ao TRE-SP perguntando sobre a legalidade do trabalho. Em nota emitida anteontem, o órgão diz que cabe ao Tribunal Superior Eleitoral julgar a questão, mas alertou para o fato de a Bienal ser um imóvel da prefeitura e receber verbas públicas para fazer a exposição.

"Foi a Bienal que fez a denúncia, é com isso que eu fico preocupado", disse Jacoby ontem. "Disseram que não sabiam, mas mentiram porque já tinham o catálogo impresso com as fotos."

Dos Anjos e Farias afirmam que receberam as imagens, que estão no catálogo e faziam parte da obra, no último dia de edição do livro. "Pensamos que as fotos fossem ilustrativas de uma campanha", disse Dos Anjos.

Mesmo que as eleições terminem no primeiro turno, a obra não deve voltar a ser exposta. "Não teria sentido", diz Dos Anjos. "O trabalho já teve seu êxito, já fez a instituição tomar um partido."

Jacoby disse que vai permanecer no pavilhão com atividades lúdicas, com marionetes e mágica. "Talvez a Bienal devesse falar de decoração, seria mais sincero."

veja também