Bingo em mansão no Rio faturava cerca de R$ 3 milhões por mês

Bingo em mansão no Rio faturava cerca de R$ 3 milhões por mês

Atualizado: Quinta-feira, 4 Novembro de 2010 as 1:37

O bingo clandestino estourado na noite de quarta-feira (3), que funcionava em uma mansão de luxo, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, faturava cerca de R$ 3 milhões por mês, de acordo com a Polícia Civil.

Segundo o delegado Rafael Willis, da 16ª DP (Barra da Tijuca), a casa de jogos funcionava dentro de um condomínio do bairro. Os clientes usavam uma entrada alternativa.

A mansão possui cerca de 15 suítes, três cozinhas, ar-condicionado central, sistema de monitoramento de segurança por câmeras e uma piscina. Ainda de acordo com o delegado, os responsáveis pagavam cerca de R$ 65 mil por mês de aluguel.

Dentro da casa, avaliada em R$ 10 milhões, os agentes apreenderam 143 máquinas caça-níqueis e cadeiras para apostadores apreendidas em outros bingos da cidade. Também foram encontradas armas e explosivos de uso exclusivo das Forças Armadas, além de munições.

70 pessoas detidas

Na noite de quarta (3), cerca de 70 pessoas – entre apostadores e funcionários – foram detidas na mansão. Segundo o delegado, havia uma festa de inauguração no local, quando os policiais chegaram.

A polícia ainda procura pelos suspeitos de serem os responsáveis pela casa de jogos. No imóvel, a polícia encontrou um cofre com documentos estrangeiros. A polícia acredita que o lugar era usada como moradia para pessoas de outros estados do país envolvidas no cirme.

Ainda não foi contabilizado o dinheiro encontrado dentro das máquinas caça-níqueis. O bingo foi localizado após uma denúncia anônima.

veja também