MENU

Boi pirata vai virar "churrasquinho do Fome Zero", afirma Minc

Boi pirata vai virar "churrasquinho do Fome Zero", afirma Minc

Atualizado: Quarta-feira, 25 Junho de 2008 as 12

Boi pirata vai virar "churrasquinho do Fome Zero", afirma Minc

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, detalhou hoje, 24 de junho, a apreensão de 3,1 mil cabeças de gado em uma fazenda instalada dentro de uma estação ecológica na Terra do Meio, na região próxima ao município de São Félix do Xingu (PA).

O leilão ainda depende de procedimentos judiciais, e, segundo Minc, deve ser realizado em três semanas. A apreensão ocorreu no último dia 7 e foi a primeira da chamada Operação Boi Pirata, que pretende coibir a criação de gado em áreas de preservação na Amazônia.

O proprietário da Fazenda Lourislândia, Lourival Medrado Novaes dos Santos, havia sido notificado desde 2006 para retirar o rebanho da unidade de conservação.

"Acabou a moleza. Quem não respeitar [as leis ambientais] vai ter o boi transformado em churrasquinho ecológico do Fome Zero", afirmou Minc.

Segundo o ministro, além do Fome Zero, os recursos serão utilizados para custear as operações de fiscalização e financiar ações de saúde indígena. De acordo com Minc, a apreensão do gado e a tomada da sede da Fazenda Lourilândia já começou a provocar um "êxodo da boiada" criada irregularmente na região.

Segundo o diretor de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Flávio Montiel, há ainda cerca de 40 mil cabeças de gado ilegais em 14 propriedades na Terra do Meio.

Na avaliação do ministro, o leilão dos chamados bois piratas não deverá interferir no mercado ou pressionar o aumento do preço da carne. "Alguns adversários insinuam que isso vai criar uma incerteza, ou provocar desabastecimento. Nós não vemos dessa forma. O Brasil tem mais de 200 milhões de cabeças, estamos fazendo operações com nove, dez mil, e que são concorrência ilegal", argumentou.

Na última quinta-feira, 19, em audiência pública na Câmara dos Deputados, o governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, afirmou que a caça aos bois piratas poderá provocar diminuição da oferta de carne para os supermercados. "É muito fácil o discurso do transgressor de dizer 'não me reprima porque isso vai aumentar o preço'", afirmou Minc sem citar o governador de Mato Grosso.

Outras dez mil cabeças de gado criadas irregularmente em uma fazenda do município de Costa Marques (RO) deverão seguir para leilão, segundo Minc. O Ibama embargou a propriedade hoje de manhã, de acordo com o diretor Flávio Montiel, e notificou o proprietário, Jair Fernando Simonato, que tem prazo de 15 dias para retirar o rebanho da área.

Postado por: Claudia Moraes

veja também