MENU

Bolivianos são comunidade estrangeira que mais cresce em São Paulo

Bolivianos são comunidade estrangeira que mais cresce em São Paulo

Atualizado: Sexta-feira, 19 Agosto de 2011 as 9:10

O Ministério da Justiça brasileiro cadastrou, entre 2009 e o primeiro semestre de 2011, 44.878 estrangeiros para receber a anistia. Destes, regularizaram a permanência no Brasil 18.004 bolivianos, seguidos de 5.811 chineses e 4.972 peruanos. De acordo com o cônsul geral da Bolívia em São Paulo, Jaime Valdivia Almanza, a estimativa é de que, atualmente, existam mais de 350 mil bolivianos em todo o país. Deste total, 75% estão em São Paulo. Os números mostram que os bolivianos são, hoje, a comunidade que mais cresce no Estado.

De acordo com o advogado e presidente do direito internacional da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil, seccional São Paulo), Eduardo Tess Filho, a vinda dos bolivianos para a cidade é motivada por fatores econômicos, sociais e políticos daquele país. 

- O motivo da vinda deles para o Brasil, e mais especificamente para São Paulo, é muito simples: emprego. A situação na Bolívia não é boa. Diversos países sul-americanos estão em crescimento econômico e com desenvolvimento bom, mas a Bolívia está em uma situação difícil, com um governo bastante difícil de prever o que vai acontecer [sic]. Então os bolivianos, mais que outros países sul-americanos, acabam procurando as duas coisas [quando chegam no Brasil]: emprego e um pouco mais de segurança política.  Em 2010, o Consulado da Bolívia na capital paulista atendeu cerca de 60 mil pessoas. Almanza conta que são pelo menos 5.000 atendimentos por mês feitos pelo órgão, que fica na Mooca, zona leste de São Paulo. A região, próxima ao Brás, é conhecida por reunir imigrantes que trabalham na indústria têxtil. 

- Lá é uma é uma espécie de Poupatempo [posto de serviço paulista] boliviano. O que queremos é que o boliviano tenha seus diretos universais, começando com a retirada do seu visto, com a regulamentação no país.

Clandestinidade

Tess Filho afirma que muitos bolivianos acabam vindo para o Brasil de forma clandestina e perdendo o contato com a própria comunidade, ficando vulnerável à exploração. 

- Muitos bolivianos acabam caindo no "conto do milagre". Acabam trancados, trabalhando e dormindo no mesmo lugar, em situação de escravidão. Esse é o grande problema, eles acabam não tendo acesso nem a comunidades bolivianas. E, se não tem algum tipo de fiscalização, a tendência deles é virar fantasmas, pessoas que não existem para o mundo. Perdem contato com a família, com o mundo. 

Segundo Almanza, o consulado faz campanhas permanentes direcionadas à comunidade boliviana. O objetivo é evitar que esses imigrantes se submetam ao trabalho escravo.

- O consulado faz campanhas em rádios, por meio de cartazes e distribuímos folhetos em feiras de grande concentração de bolivianos. A Bolívia faz a sua parte para conscientizar os seus cidadãos. Além do ramo têxtil, há empregos no setor de serviços, empregos em supermercados. Há outros meios de sobrevivência.

A unidade da Mooca fica na rua Coimbra, número 52, e funciona das 9h às 16h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx11) 3289-0443 . Segundo Tess Filho, os bolivianos também podem procurar ONGs que trabalham com apoio a imigrantes e a própria OAB-SP.          

veja também