MENU

Bombeiros ainda buscam 19 vítimas no Centro do Rio, diz Paes

Bombeiros ainda buscam 19 vítimas no Centro do Rio, diz Paes

Atualizado: Quinta-feira, 26 Janeiro de 2012 as 8:06

O prefeito Eduardo Paes diz que equipes de resgate buscam, na manhã desta quinta-feira (26), 19 pessoas desaparecidas depois do desabamento que atingiu três prédios comerciais no Centro do Rio. O acidente ocorreu por volta das 20h30 de quarta-feira (25).

Segundo o prefeito, o número de sumidos, no entanto, pode ser alterado, já que ainda não há uma lista oficial. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil municipal trabalhavam no local. Representantes de quinze famílias foram levados a uma sala de apoio na Câmara de Vereadores do Rio, onde aguardavam notícias dos trabalhos de resgate.
Cinco feridos foram resgatados na quarta-feira (25), sendo que quatro permanecem internados. Nenhuma outra vítima foi encontrada durante a madrugada. As buscas continuam nesta manhã.

“Nós montamos desde ontem uma estrutura para receber parentes e familiares que tivessem pessoas ali dentro. As pessoas estão na Câmara de Vereadores neste momento, desde essa madrugada, e no momento nós temos cerca de 19 pessoas desaparecidas [...] Também não surgiu ao longo dessa madrugada, não se encontrou nenhuma vítima fatal, e o bombeiro está trabalhando intensamente para encontrar as pessoas.”

Hipótese é dano estrutural 
Segundo ele, a principal hipótese é que o desabamento tenha sido causado por um dano estrutural, já que não há informações sobre explosão. Mas as causas do acidente ainda não estão claras.
“Os especialistas é que vão ter que falar, a perícia analisar, mas a informação que eu tenho é que praticamente descartam a possibilidade de explosão de gás. Eles vão ter que apurar [...]. Aí pode ter tido um problema estrutural, mas aí ainda é muita especulação. Você descarta a possibilidade de explosão de gás. A maior possibilidade é a de um problema estrutural no prédio. Não havia, isso já foi checado pela Defesa Civil, não havia nenhuma denúncia à Defesa Civil Municipal de abalo de estruturas, de rachadura do prédio, não havia. O pessoal já checou lá. Portanto a especulação mais forte, mas é especulação mesmo, é disso, de um problema estrutural no prédio.”, ressaltou Paes.
No início da madrugada, parentes reunidos na porta do hospital procuravam desaparecidos que estariam nos prédios. Mais tarde, representantes de quinze famílias foram levados a uma sala de apoio na Câmara de Vereadores do Rio, onde aguardavam notícias dos trabalhos de resgate.

De acordo com a empresária Zilene Bernardino, que trabalha no local, o prédio de dez andares fica na Rua Manuel de Carvalho, esquina com a Avenida Treze de Maio, e o outro na própria Treze de Maio.

Feridos
Cinco dos feridos receberam atendimento no Hospital Souza Aguiar: quatro homens (dois de 37 anos, um de 31 e um de 50 anos) e uma mulher de 28 anos. O quadro mais grave é o da mulher, que teve lesão no couro cabeludo e passou por cirurgia.
Um zelador e um operário, que estava dentro de um elevador, estão entre os feridos retirados com vida dos escombros. As informações são do coronel Sérgio Simões, secretário estadual de Defesa Civil. Ainda de acordo com o coronel, as buscas se concentram em dois pontos sinalizados com a ajuda de cães farejadores.
Uma moradora de um prédio vizinho relatou que três andares de um dos prédios passavam por reforma. "De repente, ouvimos um grande barulho e começou a voar tudo", contou a argentina Devora Galavardo, que mora há seis meses em frente ao prédio que desabou.

República do Chile.
A Light desligou a luz nos arredores para evitar incêndios. Vinte viaturas da polícia foram acionadas para isolar a área.
Em nota oficial, o Theatro Municipal informou que o desabamento do edifício da Avenida Treze de Maio não causou prejuízos ao prédio, nem danos estruturais. A única parte atingida por escombros foi a bilheteria, no prédio anexo. Nenhum funcionário foi atingido.

veja também