MENU

Bombeiros buscam quarta vítima da ressaca no Rio; mar está agitado e ainda há previsão de ressaca

Bombeiros buscam quarta vítima da ressaca no Rio; mar está agitado e ainda há previsão de ressaca

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 10:19

    Bombeiros do 1º Grupamento Marítimo (1º GMar) de Botafogo retomaram as buscas nesta terça-feira (10) pelo zelador Mauricio Paulino do Rosário, 38 anos, que desapareceu na madrugada de domingo (8), quando pescava na praia Vermelha, na zona sul do Rio de Janeiro. 

De acordo com o irmão do zelador, Marcelo Paulino do Rosário, 40 anos, ele escorregou de uma pedra e caiu no mar. 

- Ele estava acostumado a pescar de barco. Ele nunca tinha ido pescar na praia Vermelha. Um primo nosso o convidou e ele acabou indo. Eles saíram de Duque de Caxias no final da tarde de sábado. Meu primo viu meu irmão escorregando e caindo da pedra. 

Ainda segundo Marcelo, o primo deles acionou o Corpo de Bombeiros e os agentes só chegaram uma hora e 15 minutos depois. 

- Meu primo acionou os bombeiros por volta de 0h45 e eles só chegaram às 2h. Os agentes não conseguiram continuar as buscas naquela madrugada, pois disseram que a água estava batendo muito nas pedras e que a visibilidade estava baixa. 

  O mar segue agitado sobre a costa do Rio de Janeiro nesta terça-feira e as ondas ainda passam dos 2 m de altura. De acordo com os meteorologistas da SOMAR, devido a presença da frente fria, ainda há risco de ressaca na costa fluminense. Além do Rio de Janeiro, o mar também fica agitado na costa leste do nordeste, com ondas que variam entre 1,9 m e 2,2 m de altura entre Alagoas e Paraíba.

Segundo a meteorologista do Inmet (Institiuto Nacional de Meteorologia), Marlene Leal, no último domingo (8), a frente fria que estava no sul do Brasil chegou ao litoral de São Paulo e se aproximou do Rio de Janeiro. Segundo ela, a Marinha comunicou ao instituto sobre a possibilidade de uma forte ressaca no mar. Ela disse que a previsão para esta terça-feira e para os próximos dias é de chuva no Rio de Janeiro. 

- A Marinha tinha passado a informação de que chegaria uma frente fria no Rio de Janeiro. A circulação desta frente estava mais forte no domingo e ainda continua. A previsão é de céu encoberto com chuva para os próximos dias. 

Ressaca faz mais vítimas no Rio

A forte ressaca que atingiu o litoral do estado no fim de semana resultou na morte de três pessoas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ela foi provocada por uma frente fria e um ciclone, vindos da Argentina. No domingo, as ondas atingiram mais de 4 m de altura nas praias da capital fluminense.

Segundo o subcomandante do 1º Gmar, major Nelson Borges, a ressaca atingiu todo o litoral sul e sudeste brasileiro. O fenômeno é resultado de tempestades que provocam rajadas de vento que fazem subir o nível do oceano, aumentando dessa forma o tamanho das ondas, que caminham em velocidade crescente para o litoral.

- Quando a Marinha detecta alteração no mar devido à ocorrência de ressacas, um alerta é emitido para o Corpo de Bombeiros, que por sua vez, procuram fazer a divulgação para a população.

Na segunda-feira (9), os bombeiros resgataram o corpo de um homem próximo às ilhas Cagarras, na zona sul. O corpo pode ser do pescador desaparecido após ser atingido por uma onda na praia da Joatinga, na zona oeste da cidade, no sábado (7). 

No mesmo local do desaparecimento do pescador, os bombeiros resgataram o corpo de duas mulheres no domingo, que se afogaram.  

veja também