MENU

Bombeiros do RJ protestam em frente ao Palácio do Planalto

Bombeiros do RJ protestam em frente ao Palácio do Planalto

Atualizado: Quinta-feira, 30 Junho de 2011 as 7:45

Um grupo de cerca de 300 bombeiros do estado do Rio de Janeiro iniciou uma vigília em frente ao Palácio do Planalto na noite desta quarta-feira (29). O grupo está em jejum e quer ser recebido pela presidente Dilma Rousseff. Os manifestantes pedem apoio para que o Congresso Nacional aprove um projeto de lei que anistia criminalmente os bombeiros, que foram presos após protesto por melhores condições de trabalho no Rio de Janeiro.

Além da anistia criminal, os bombeiros querem apoio para questões como a implementação de piso salarial de R$ 2 mil e a liberação de vale transporte para a categoria. Hoje, segundo os bombeiros, o piso salarial do estado é de R$ 950. Na frente do Planalto, eles cantaram o Hino Nacional e carregaram a bandeira do Brasil.

"Aqui não tem criminoso, tem chefe de família. Vamos ficar aqui [em frente ao Planalto], em jejum, até sermos recebidos pela presidente Dilma Rousseff", afirmou o cabo Benvenuto Daciolo, um dos líderes do movimento.

Os bombeiros querem também que o governo de Sérgio Cabral derrube a gratificação paga a alguns profissionais da categoria. Segundo eles, as gratificações acabam gerando distorções salariais, e não são incoporadas ao salário depois da aposentadoria.

"A gratificação até pode parecer coisa boa, mas não é. Cria distorções que acabam gerando conflitos na tropa, por isso defendemos o fim dela", afirmou o major Márcio Garcia.

Durante esta quarta-feira, os bombeiros fizeram uma caminhada em Brasília e estiveram na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados. Sem conseguir a garantia da votação do projeto de anistia criminal, o grupo pretende permanecer em Brasília protestando.

Anistia administrativa

Nesta quarta-feira, o governador do Rio, Sérgio Cabral, sancionou o projeto de lei que concede anistia administrativa aos mais de 400 bombeiros e aos dois PMs presos, após a invasão ao quartel central da corporação, no último dia 3 de junho.

Além disso, foram sancionados ainda os projetos que garantem a antecipação do reajuste de 5,58% para a categoria e o uso de 30% do Fundo Especial do Corpo de Bombeiros (Funesbom) para gratificações. As informações foram publicadas no Twitter oficial do governador.

veja também