MENU

Bombeiros resgatam corpos em local de desabamento no Rio

Defesa corrige: 3 corpos achados

Atualizado: Quinta-feira, 26 Janeiro de 2012 as 9:17

As equipes de resgate do Corpo de Bombeiros encotraram na manhã desta quinta-feira (26) o corpo de uma vítima dodesabamento de três prédios, no Centro do Rio de Janeiro.

Para facilitar o trabalho das equipes da Prefeitura do Rio e do Corpo de Bombeiros em busca de vítimas, trechos de ruas da região permanecerão fechadas nesta quinta-feira (26). Já as estações do metrô no Centro, que haviam sido fechadas na quarta-feira, funcionam normalmente desde as 5h. A Prefeitura pede que a população evite o local para facilitar a atuação das equipes.

Feridos
Três vítimas do desabamento seguem internadas na manhã desta quinta-feira (26), no Hospital Souza Aguiar, também no Centro. As informações são da Secretaria municipal de Saúde. Segundo o órgão, o quadro mais grave é o de uma mulher, que teve lesão no couro cabeludo e passou por uma cirurgia.

Uma outra vítima também foi levada para o hospital, mas já foi liberada. O homem, identificado apenas como Francisco, não estava dentro de um dos prédios, mas ajudava os bombeiros no resgate e sofreu um corte.

Um zelador e um operário, que estava dentro de um elevador, estão entre as vítimas retiradas com vida dos escombros. As informações são do coronel Sérgio Simões, secretário estadual de Defesa Civil. Ainda de acordo com o coronel, as buscas se concentram em dois pontos sinalizados com a ajuda de cães farejadores.
No início da madrugada, parentes reunidos na porta do hospital procuravam desaparecidos que estariam nos prédios.

Interdições
Os trechos fechados, segundo o Centro de Operações Rio, são Avenida Treze de Maio, onde houve o desabamento, Avenida Almirante Barroso entre Avenida Rio Branco e Senador Dantas. Já a Rua Senador Dantas vai funcionar com mão invertida entre Avenida Almirante Barroso e Evaristo da Veiga. Para esta operação, agentes de trânsito trabalharão nos bloqueios com apoio de 10 painéis informativos. Veículos que vêm da Cruz Vermelha e da Avenida República do Chile deverão seguir pela Rua Senador Dantas, que estará com a mão invertida.

A Prefeitura do Rio reforçou o efetivo no local. Mais de 40 agentes da Defesa Civil e d Secretaria municipal de Saúde estão na região, além de quatro ambulâncias para remoção das vítimas.


Equipes no local
Cerca de 200 homens da CET-Rio e da Guarda Municipal estão nas ruas orientando o trânsito na região do desmoronamento. A CET-Rio também colocou dez reboques na região e dez painéis em diferentes pontos da cidade. A Rioluz dá apoio com 20 homens, três caminhões do tipo cesto, geradores, equipamentos de segurança e iluminação. A Seconserva atua com 30 homens, 10 caminhões e duas escavadeiras. A Comlurb conta com 30 homens, 10 caminhões e duas pás mecânicas. A Secretaria municipal de Obras disponibilizou três escavadeiras hidráulicas, um guindaste de cem toneladas, duas tesouras mecânicas e um rompedor pneumático. A Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop) patrulha a área com seis equipes de controle urbano, enquanto a Secretaria de Assistência Social atua com 20 profissionais.

O Centro de Operações está em alerta tomando as medidas necessárias, como deslocamento de equipes e acionamento de outros órgãos e concessionárias, para minimizar o impacto do desabamento e facilitar o trabalho das equipes. O monitoramento é feito por cerca de 50 operadores na sala de controle, que utilizam 15 câmeras na região afetada.

Um posto de informações para familiares de eventuais vítimas foi instalado na Câmara dos Vereadores, na Cinelândia.

Paes não acredita em explosão
Em entrevista, o prefeito Eduardo Paes confirmou que, além de um prédio de dez andares e outro de 20 andares, um sobrado, que ficava entre as duas construções, acabou atingido pelos destroços. 
Mais cedo, numa entrevista anterior, o prefeito havia comentado sobre as possíveis causas do desmoronamento. "Aparentemente não foi uma explosão, o desabamento aconteceu por um dano estrutural no prédio. Acredito que não tenha sido vazamento de gás", disse o prefeito.

De acordo com a empresária Zilene Bernardino, que trabalha no local, o prédio de dez andares fica na Rua Manuel de Carvalho, esquina com Treze de Maio, e o outro na própria Treze de Maio. Um terceiro prédio, de menores proporções, também pode ter desabado, segundo testemunhas.


Uma moradora de um prédio vizinho relatou que três andares de um dos prédios passavam por reforma. "De repente, ouvimos um grande barulho e começou a voar tudo", contou a argentina Devora Galavardo, que mora há seis meses em frente ao prédio que desabou.


veja também