MENU

Bombeiros fazem buscas por homem que desapareceu no mar na Urca

Bombeiros fazem buscas por homem que desapareceu no mar na Urca

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 8:13

Bombeiros do 1º Grupamento Marítimo (1º GMar) procuram por um homem que desapareceu no mar, na madrugada de domingo (8), na Praia Vermelha, na Urca, na Zona Sul do Rio de Janeiro. As informações são do Corpo de Bombeiros. Segundo o 1º GMar, as buscas foram suspensas no fim da noite de segunda-feira (9) e serão retomadas na manhã desta terça-feira (10).

Ainda de acordo com a corporação, o homem teria caído de uma pedra enquanto pescava na região. A família informou que ele estava com um primo e teria se desequilibrado, e não conseguiu retornar porque estava escuro. As buscas pela vítima começaram logo no início da manhã de segunda-feira.

Mortes no mar

Na manhã desta segunda (9), os bombeiros resgataram o corpo do pescador que estava desaparecido na Praia da Joatinga, na Zona Oeste do Rio, desde o domingo (8). Ele estava sumido desde a ressaca que atinge o Rio desde o fim de semana. As ondas chegaram até quatro metros de alturas em algumas praias da cidade e os bombeiros registram 39 salvamentos, do Leme, na Zona Sul, à Sepetiba, na Zona Oeste da cidade.

A ressaca, de acordo com os especialistas, aconteceu por causa de um ciclone que se formou próximo à Antártida, há quatro dias. O ciclone foi ganhando força e se aproximou do sul da Argentina, quando os ventos fortes formaram ondas grandes no oceano que subiram pelo oceano Atlântico e chegaram ao litoral carioca.

Além do corpo do pescador, identificado como Marco Antônio Flangim Mascado, de 50 anos, duas mulheres foram resgatadas mortas, também na Praia da Joatinga. De acordo com os bombeiros, elas foram identificadas como Marina Prates Lourenço, de 33 anos, e Mary Laine Ferraz Barbosa, de 36 anos. Segundo a 16ª DP (Barra da Tijuca), onde o caso foi registrado, Marina era natural de Minas Gerais. Já Mary Laine nasceu em São Paulo, mas residia em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. 

As duas vítimas já estavam mortas quando foram retiradas no mar (Foto: Rômulo Moreira / VC no G1)        

veja também