MENU

Bombeiros retomam operação para retirar barco do Lago Paranoá

Bombeiros retomam operação para retirar barco do Lago Paranoá

Atualizado: Sexta-feira, 27 Maio de 2011 as 8:28

  Os bombeiros retomaram na manhã desta sexta-feira (27) as operações para içar o barco Imagination do fundo do Lago Paranoá, em Brasília. A primeira tentativa para desvirar a embarcação foi suspensa no final da tarde desta quinta-feira (26) por falta de luz natural. O barco pesa 15 toneladas e está a uma profundidade entre 17 e 18 metros.

De acordo com o coronel Luiz Blumm, do Corpo de Bombeiros, os dois balões de flutuação amarrados ao barco se deslocaram e terão que ser reposicionados. Um barco rebocador vai ajudar na rotação do Imagination, que está com o casco para cima. Depois que o barco estiver na posição original de navegação, colchões de ar e mais balões de flutuação deverão ser utilizados para que o barco seja içado. Entre 50 e 60 homens trabalham na operação.

O local na margem do Lago Paranoá para onde o barco será levado ainda não foi definido. De acordo com a major Vanessa Signale, também do Corpo de Bombeiros, o objetivo é encaminhar a embarcação para o ponto mais próximo ao naufrágio, que é de cerca de 300 a 400 metro da terra.

Nesta quinta foi divulgado um vídeo feito por peritos da Polícia Civil que mostra o trabalho dos mergulhadores na embarcação. Nas imagens é possível ver o nome do barco, uma placa de identificação que detalha a capacidade de passageiros, uma agenda, coletes salva-vidas e até uma garrafa de bebida. A água é turva e há pouca iluminação.     Possíveis causas

O delegado fluvial Rogério Leite acredita que só após a retirada completa do barco será possível realizar um trabalho de perícia minucioso e indicar a causa do acidente. “Ainda não temos conclusões sobre a causa do acidente, ainda não temos os elementos necessários. Isso só vai acontecer depois que o barco for içado. Precisamos chegar mais perto, principalmente dos flutuantes”, afirmou

Na última segunda-feira (23), mergulhadores encontraram uma rachadura em um dos tubulões, que são estruturas cilíndricas e ocas que auxiliam na flutuação dos barcos.

Vítimas

Nove pessoas morreram no naufrágio . O corpo da última vítima foi resgatado na noite de quarta-feira. Hadnilton José de Oliveira, de 31 anos, trabalhava como garçom no Imagination. Mais de cem pessoas estavam no barco quando ele naufragou. Nota divulgada pela Marinha na segunda-feira passada informava que o barco tinha capacidade para 90 passageiros e dois tripulantes .

A Polícia Civil aguarda a perícia para concluir quantas pessoas serão responsabilizadas pelas mortes. Segundo o delegado Adval Cardoso, há indicação de negligência. “O certo é que, pelo menos, 110 pessoas estavam no barco. O indicativo é para um crime culposo, mas não quer dizer que, ao final, não possa caracterizar um dolo eventual”, disse.

A polícia continua ouvindo relatos de testemunhas sobre o naufrágio. Um deles foi do casal dono do buffet que organizou a festa. A empresária Vanda Cristina Pereira disse em depoimento que trabalhou no barco outras vezes e que eram comuns os picos de luz por falhas no gerador, o que também teria acontecido duas vezes pouco antes do naufrágio.

Pedro Pereira, advogado de Vanda Cristina, confirmou a informação. “Existem notícias de que em outras viagens o barco apresentou problemas pontuais específicos, mas isso vai ficar a cargo da investigação da Polícia Civil na conclusão do inquérito”, disse.            

veja também