MENU

Bruno já pode tomar banho de sol junto com outros presos

Bruno já pode tomar banho de sol junto com outros presos

Atualizado: Quarta-feira, 4 Agosto de 2010 as 8:06

Preso há quase um mês, o goleiro Bruno já pode tomar banho de sol com os outros presos do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem (MG). Ele pode usufruir do benefício junto com Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; e Marcos Aparecido, o Bola; desde segunda-feira (2). De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social, o mesmo direito foi estendido aos outros acusados do sequestro e morte de Eliza Samudio: Wemerson Marques, o Coxinha; Flávio Caetano de Araújo e Elenílson Vítor da Silva. Todos estão na Nelson Hungria, mas não no mesmo pavilhão de Bruno.

O direito ao banho de sol foi concedido pelo tempo que os suspeitos já estão presos. Eles ainda não estão autorizados a usar a quadra de futebol.

Até a semana passada, os lugares e os horários do banho eram diferentes para cada um dos suspeitos e eles não podiam se encontrar com os outros presos.

Habeas Corpus

Nesta terça-feira (3), mais um pedido de habeas corpus foi impetrado para Bruno Fernandes, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O habeas corpus estava sem a identificação do advogado do goleiro e partiu de um cidadão comum.

De acordo com a assessoria do TJ, este é o 23º habeas corpus que Bruno é o beneficiado ou interessado. A maioria dos pedidos foi feita por cidadãos comuns que solicitam à Justiça a liberdade do atleta. Três deles ainda não foram julgados.

O goleiro está preso desde a madrugada de 9 de julho.

O caso

Eliza Samudio, 25 anos, está desaparecida desde o início de junho deste ano. Segundo depoimentos ouvidos pela polícia, ela foi sequestrada e está morta.

Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com o goleiro Bruno, então jogador do Flamengo. Ela brigava, na Justiça, pelo reconhecimento da paternidade do filho de 5 meses, que seria do jogador.

Mesmo sem ter encontrado o corpo de Eliza, a polícia mineira indiciou nove pessoas pelo homicídio. Todos negam participação no crime.

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também