MENU

Buldogue de ex-dono do Banco Santos vai continuar em mansão

Buldogue de ex-dono do Banco Santos vai continuar em mansão

Atualizado: Sexta-feira, 18 Fevereiro de 2011 as 4:19

O buldogue Clóvis, cachorro que o ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira deixou em sua mansão após ter sido despejado, continuará morando na casa situada no Morumbi, Zona Sul de São Paulo. Segundo a assessoria de Edemar, o destino do animal será resolvido apenas quando o processo de despejo for concluído.

O ex-dono do Banco Santos e sua mulher tiveram de sair da mansão há quase um mês por falta de pagamento do aluguel. A propriedade de cinco andares foi construída ao custo de R$ 142 milhões.

Na quinta-feira, Edemar voltou à residência para marcar com etiqueta rosa tudo o que pretende levar. Nada, porém, pode ser retirado de lá. A Justiça tem pressa para resolver o caso, já que mesmo fechada o custo da casa é de R$ 40 mil por mês.     Ainda de acordo com a assessoria de Edemar, o cachorro não é de companhia, mas de guarda. Por isso, o buldogue vive com os seguranças, que, além de continuar trabalhando na propriedade, alimentam e cuidam do cão.

Clóvis passa o tempo entre a guarita e o setor administrativo da propriedade, onde se concentram os vigias. Por enquanto, o ex-banqueiro não pretende doá-lo.

A mansão pertence à massa falida que passou a controlar os bens de Edemar depois da quebra do Banco Santos, em 2004. Na época, ele foi acusado de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta. Condenado a 21 anos de prisão, o ex-banqueiro recorre em liberdade.    

veja também