MENU

Câmara antecipa em uma semana o feriadão

Câmara antecipa em uma semana o feriadão

Atualizado: Quinta-feira, 16 Junho de 2011 as 3:07

Apesar do feriado de Corpus Christi estar marcado apenas para a próxima quinta-feira (23), a Câmara dos Deputados praticamente já inicia o feriadão prolongado uma semana antes, a partir desta quinta-feira (16).

A tendência é que tanto as comissões quanto o plenário permaneçam vazios ou sem sessões, já que várias lideranças estarão em viagem, alguns para fora do país. Some-se a isso as festas juninas, tradicional pretexto para os deputados visitarem suas bases eleitorais.

A reportagem confirmou que os principais líderes partidários, responsáveis pela agenda de votações, estarão fora do país. O líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP) embarca no domingo (19) para a França.

A convite da fundação privada FRS (Fondation por la Recherche Stratégique), especializada na área de Defesa, participa de um evento sobre a indústria aeroespacial e só volta na quinta-feira, dia do feriado. A participação será bancada pela entidade, segundo sua assessoria.

Outro grupo de pelo menos 30 políticos e autoridades, incluindo vários deputados, vai aos Estados Unidos, para um seminário privado promovido pela Universidade de Harvard, em Boston. O evento discutirá os impactos da China e da Índia sobre a economia brasileira.

Embarcam no sábado (19) os líderes do PT, Paulo Teixeira (SP); do PSDB, Duarte Nogueira (SP); e do DEM, ACM Neto (BA). O final do evento, também pago pela Universidade, será na terça-feira (21).

A ausência inviabiliza as votações na semana que vem, já que são esses líderes quem combinam a pauta. Em várias comissões, funcionários consultados também não sabem ao certo se haverá pauta.

No plenário, não há mais medidas provisórias ou projetos de lei de interesse imediato do governo. A proposta mais importante, que flexibiliza as regras para licitações de obras da Copa e das Olimpíadas, foi votada numa sessão que varou a madrugada de ontem.

O governo conseguiu aprovar a medida provisória, mas vários pontos de desacordo deverão ficar para depois. Prevendo o esvaziamento, os deputados marcaram uma nova votação apenas para o dia 28 de junho, daqui a 12 dias.

veja também