Câmara do DF recebe seis pedidos de impeachment contra Arruda

Câmara do DF recebe seis pedidos de impeachment contra Arruda

Atualizado: Quarta-feira, 2 Dezembro de 2009 as 12

O PT e a CUT protocolaram mais dois pedidos de impeachment contra o governador José Roberto Arruda (DEM) na Câmara Legislativa, acusado de suposto pagamento de propina para base aliada.

Ao todo, a Casa já recebeu seis pedidos de cassação contra o governador e esse número pode aumentar ainda mais porque a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) também estuda um ação.

Segundo o presidente em exercício da Câmara Legislativa, Cabo Patrício (PT), há previsão regimental para que os pedidos sejam anexados e analisados conjuntamente. A Procuradoria da Câmara local deve dar um parecer final sobre essa alternativa.

Os pedidos de impeachment também extensivos ao vice-governador Paulo Octávio (DEM), envolvido no suposto esquema de corrupção.

O processo de impeachment elaborado pelo PT também foi assinado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), pelo movimento União da Juventude Socialista, entre outros movimentos sociais.

Antes de o pedido ter sido protocolado, cerca de 150 manifestantes invadiram o plenário cobrando o afastamento de Arruda, de Paulo Octávio, dos nove distritais citados no inquérito que investigam o esquema de corrupção. Os manifestantes querem ser ouvidos.

Os pedidos de cassação serão lidos em plenário e depois seguem para análise da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Por lá, só há um deputado da oposição. Se os processos forem aprovados, seguem para o plenário e precisam do aval de 16 dos 24 distritais.

Arruda, no entanto, tem maioria para derrubar os pedidos. O cenário pode mudar, caso o PMDB, que se reúne na próxima segunda-feira resolva abandonar a base aliada.

A oposição espera contar com a pressão da opinião pública para convencer os deputados a aprovarem impeachment.

''Aqui na Câmara [Legislativa] a minoria não tem voz. Nós somos atropelados. É preciso envolver os movimentos sociais. O dinheiro público que aparece nas imagens é o que está faltando nos hospitais, com gente morrendo nas filas'', disse Cabo Patrício (PT).

Por Márcio Falcão

veja também