MENU

Camelôs bloqueiam Avenida do Estado na região central de SP

Camelôs bloqueiam Avenida do Estado na região central de SP

Atualizado: Quarta-feira, 26 Outubro de 2011 as 8:36

Os camelôs que protestam desde a noite de segunda-feira (24) contra a proibição de montarem suas barracas durante a madrugada na região do Brás, no Centro de São Paulo, bloquearam novamente a Avenida do Estado por volta das 7h05 desta quarta-feira. Em menos de 15 minutos, os manifestantes foram retirados pela Tropa de Choque da Polícia Militar. A corporação usou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo e tiros de bala de borracha para dispersar os camelôs. Nesta madrugada, eles já haviam interditado a via por cerca de meia hora.   Por volta das 7h20, os manifestantes que se retiraram da Avenida do Estado voltaram para o interior do bairro e jogaram entulho na via. Os ambulantes tentaram depredar um veículo na Rua Pasteur.

Nesta manhã, os manifestantes tentaram depredar comércios próximos à Feira da Madrugada. Para conter a confusão, os policiais chegaram a jogar bombas de efeito moral. Durante a madrugada, a feira permaneceu aberta, com policiais militares reforçaram a segurança em suas entradas. Ninguém foi preso e não foi registrado vandalismo ou confronto com os policiais militares que acompanharam a manifestação.

Entrada da Feira da Madrugada pela Rua São

Caetano era controlada (Foto: Juliana Cardilli/G1) Segundo o comando da PM, cerca de 400 policiais estavam na região da feira por volta das 6h45 desta quarta-feria, incluindo homens da Força Tática. A cavalaria da corporação bloqueava o acesso da Rua São Caetano, no cruzamento com a Avenida do Estado. Ainda segundo a PM, cerca de 300 manifestantes ocupam as ruas do bairro no início desta manhã.

A manifestação começou na noite de segunda e se estendeu pela madrugada de terça-feira (25), quando a PM iniciou a Operação Delegada nas ruas do bairro. Manifestantes incendiaram dois carros, e uma banca de jornal e uma loja foram depredadas. Durante toda a manhã de terça, foram feitas manifestações e as lojas da região foram impedidas de permanecer com suas portas abertas.

Os camelôs querem trabalhar nas ruas do bairro até dezembro, período em que alegam ser o melhor do ano para as vendas. Para a PM, os ambulantes não são cadastrados e não têm, portanto, autorização para montar suas barracas naquela área.

Cavalaria da PM foi usada para dispersar manifestantes que ocuparam

a Avenida do Estado, no Brás (Foto: Juliana Cardilli/G1)        

veja também