MENU

Campanha contra as drogas em MT debate prevenção e tratamento

Campanha contra as drogas em MT debate prevenção e tratamento

Atualizado: Sexta-feira, 23 Setembro de 2011 as 4:54

 Será lançada nesta sexta-feira (23) a campanha 'Papo Reto: Pó, pedra e pasta destroem sua vida', em Cuiabá, com o objetivo

de discutir  o combate às drogas em diversos setores da sociedade. O lançamento será às 18h (horário de MT), no auditório das Promotorias de Justiça de Cuiabá. O projeto é realizado pelo Ministério Público Estadual (MPE) em parceria com a Assembleia Legislativa (AL-MT) e a TV Centro América.

Em entrevista ao MTTV 1ª Edição, desta sexta-feira (23), o procurador de justiça e coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Paulo Prado, explicou que a campanha tem um conjunto de ações divididas em três etapas: prevenção ao uso de drogas, repressão do tráfico e tratamento de usuários e seus familiares.

“Nesta primeira etapa vamos trabalhar a prevenção, porque o tráfico existe, o tráfico é forte. Se nós diminuirmos os usuários e diminuirmos a compra da droga, o traficante vai ter que mudar de profissão. Então queremos que as pessoas não entrem nesse mundo. Não entrem nesse labirinto, não entrem nessa escravidão. Esse é um caminho da campanha”, afirmou o procurador de justiça.   Ainda segundo o procurador, o segundo caminho, da repressão, ocorre por meio do Gaeco, que atua no controle das drogas, com uma parceria entre a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A terceira etapa do programa, de acordo com Paulo Prado, trata-se do tratamento de usuários, e principalmente, daqueles que querem sair do vício. “Se for o caso, vamos internar a pessoa ou faremos o acompanhamento ambulatorial. O que você percebe é que existe pessoas tão dependentes da droga que viraram zumbi humano. Num caso desse, se ele continuar solto, andando por ai, ele vai roubar, furtar, matar ou morrer”.

Tráfico em Mato Grosso

Além disso, o procurador da justiça discutiu ainda a questão do tráfico de drogas em Mato Grosso e destacou a participação expressiva do estado bem como da Bolívia nos dados sobre o consumo de cocaína no Brasil.

“Quanto ao tráfico de drogas, 70% da cocaína que é consumida no Brasil entra pela Bolívia, por Porto Espiridião ou Cáceres, ou seja, entra por Mato Grosso. Hoje qualquer carro brasileiro que entra na Bolívia é regularizado como carro boliviano. O criminoso se sente estimulado a levar o carro para a Bolívia e a transformá-lo em cocaína”, disse o procurador.

veja também