MENU

Capacidade dos aeroportos do Brasil deve crescer 66,4% até a Copa 2014

Capacidade dos aeroportos do Brasil deve crescer 66,4% até a Copa 2014

Atualizado: Segunda-feira, 26 Outubro de 2009 as 12

Dezesseis aeroportos do país devem ter a capacidade aumentada em 66,4% até a Copa do Mundo de 2014. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), serão investidos R$ 7,1 bilhões em reformas e obras de ampliação dos terminais de carga e de passageiros que atenderão os turistas das 12 cidades-sede (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo).

As administrações das cidades-sede estimam investir R$ 79,4 bilhões em obras de infra-estrutura necessárias para que o Brasil se coloque em condições de receber a competição. O Ministério do Esporte não trabalha com uma estimativa fechada de custo da Copa 2014.

Calendário apertado

Os aeroportos Afonso Pena (PR), Galeão (RJ), Santos Dumont (RJ), Cumbica (SP), Eduardo Gomes (AM) e Internacional de Salvador (BA) são os únicos que devem ter obras a serem concluídas no ano da competição. Os demais já estarão prontos. O prazo máximo de conclusão das obras estipulado pela Infraero é abril de 2014.

Estão previstos trabalhos de reforma e ampliação de terminais de passageiros e de carga, aumento da capacidade de garagem e dos estacionamentos, reparos nas pistas e otimização das áreas de taxiamento das aeronaves.

Capacidade de passageiros

O Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, tem capacidade de 20,5 milhões de passageiros por ano. Com as obras, poderá receber um fluxo anual de 30,5 milhões de usuários. O Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, vai passar de 12 milhões para 15 milhões/ano. O terminal de Viracopos, em Campinas (SP), passará de 3,5 milhões para 5 milhões/ano.

No Rio de Janeiro, o Aeroportos do Galeão tem capacidade para 18 milhões de usuários/ano e vai passar a suportar um fluxo de 26 milhões de passageiros anualmente.

Em Minas Gerais, o Aeroporto de Confins vai passar de 5 milhões para 8,5 milhões de passageiros no ano.

O Aeroporto de Brasília vai ter a capacidade aumentada de 10 milhões para 25 milhões de usuários/ano. O Aeroporto de Porto Alegre deve passar de 4 milhões para 10 milhões de passageiros todos os anos. Em Curitiba, o aumento vai ser de 6 milhões para 8 milhões de usuários.

Em Fortaleza, o fluxo deve aumentar de 3 milhões para 8 milhões por ano. Em Manaus, o crescimento previsto é de 2,5 milhões para 8 milhões de usuários. Em Cuiabá, o fluxo deve crescer de 1,6 milhão para 2,3 milhões por ano.

Os aeroportos de Santos Dumont (RJ), Pampulha (MG), Recife e Salvador permanecerão com as capacidades atuais.

Demanda de passageiros

Apesar do aumento da capacidade, a Infraero diz que cada um dos aeroportos vai atender a uma demanda inferior à capacidade que será atingida com as obras.

A Superintendência da Infraero informou que o plano de investimento nos aeroportos foi feito de acordo com a demanda estimada de fluxo de passageiros em cada um dos terminais em até 20 anos. O estudo é feito pela Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

No Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), há obras programadas para 50 estabelecimentos aeroportuários do país, segundo a Infraero.

veja também