MENU

Cerca de 20% das ligações de água do Estado do Rio são clandestinas

Cerca de 20% das ligações de água do Estado do Rio são clandestinas

Atualizado: Quarta-feira, 16 Março de 2011 as 9:20

O calor intenso do verão fez o consumo de água no Rio de Janeiro crescer cerca de 10%, informou a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos). Entretanto, nem todos pagam por essa conta. O diretor de distribuição e comercialização metropolitana da companhia, Armando Vieira Junior, estima que cerca de 20% das ligações de água do Estado sejam clandestinas. Os famosos gatos não prejudicam apenas os cofres da empresa, pois o prejuízo também chega a quem sofre com problemas de abastecimento.

- Quando você direciona água para determinado local, você calcula o consumo médio pelos números oficiais. Porém, com a grande quantidade de gatos, a água acaba não sendo suficiente e prejudica o abastecimento. A Cedae distribuiu nos primeiros meses de 2011 quase 10% a mais de água do que o mesmo período do ano passado. Em 2010 a empresa tratou 41 m³ de água por segundo e neste ano são quase 44 m³ de água. São aproximadamente 3.000 litros a mais por segundo, explica Junior.

- Para se ter ideia da dimensão dessa produção extra, basta saber que Niterói consome aproximadamente 1.500 m³ por segundo A empresa está fornecendo duas cidades de Niterói a mais por segundo e, mesmo com isso, estamos tendo alguns problemas de abastecimento.

Até meados de janeiro de 2011 foram mais de 7.000 mil operações contra as ligações ilegais, que totalizaram uma soma de quase R$14 milhões em multas. Os responsáveis pelos gatos são autuados por furto de água, artigo 155 do Código Penal, que pode resultar em até cinco anos de prisão. A Cedae afirmou ao R7 que não consegue medir o tamanho dos prejuízos causados pelas ligações ilegais.

- Quem tem o gato não se preocupa em economizar água. Gastam muito além necessidade. Isso desequilibra nosso sistema.

Ilegalidade há 17 anos

Entretanto, nem todos os que possuem gatos por malandragem. Os moradores do bairro Thomaz Coelho, na zona norte carioca, usam as ligações ilegais para ter acesso à água. Na área, que fica próxima aos complexos da Penha e do Alemão, quase 10 mil pessoas não são atendidas pela rede de água e esgoto da Cedae.

Segundo o presidente da associação Nova Maracá, Sebastião Jorge Fortunato, já são 17 anos de ocupação da área, e até hoje nenhuma ligação oficial foi feita pela empresa de água do Estado. E não faltam pedidos e protestos para a ligação de água.

- Água é uma necessidade básica, só que o Estado não proporciona isso para nós. Somos obrigados a tornar legal o que é ilegal.

A Cedae respondeu que não há problema generalizado de abastecimento no bairro de Thomaz Coelho. Segundo a empresa, toda a região recebe água regularmente. Caso algum morador não esteja recebendo água regularmente em sua residência, isto provavelmente se deve a problemas pontuais e a Cedae pede aos consumidores que entrem em contato com a companhia pelo telefone 0800-282-1195, informando endereço completo para que a empresa envie uma equipe de técnicos ao local.      

veja também