MENU

Cerimônia de posse de Dilma terá trajeto alternativo em caso de chuva

Cerimônia de posse de Dilma terá trajeto alternativo em caso de chuva

Atualizado: Sexta-feira, 26 Novembro de 2010 as 3:38

A incerteza quanto ao clima em janeiro levou a comissão organizadora da posse presidencial a pensar em alternativas para a cerimônia que se iniciará às 14h30 do dia 1º, horário confirmado nesta sexta-feira (26). Em caso de chuva, Dilma Rousseff entrará no Palácio do Congresso pela Chapelaria, que é coberta. Se a chuva for fraca, caberá à presidente eleita optar por subir a rampa de mármore do Congresso, após o trajeto no Rolls Royce presidencial pela Esplanada dos Ministérios, ou entrar pela Chapelaria.   A comissão, formada por representantes do Senado, da Câmara, do Itamaraty, do gabinete de transição do Governo e do Comando Militar do Planalto, se reuniu hoje na Biblioteca Luiz Viana Filho, do Senado, para tratar de detalhes da solenidade de transição do Poder Federal que deve durar entre uma hora e meia e duas horas. Será a sexta posse presidencial desde o fim do regime militar.   Para que tudo saia dentro do programado, a organização do evento tem trabalhado desde julho nas minúcias que compõem a cerimônia.

- É um evento que mobiliza diversos setores. A reunião serviu para ouvir o que cada um tem a dizer. É importante que todos estejam afinados - destacou Cláudia Lyra, secretária-geral da Mesa e coordenadora no Congresso das atividades relacionadas à cerimônia.

A fim de evitar imprevistos, os roteiros definidos nas reuniões também serão colocados em prática. A comissão organizadora está programando a realização de um ensaio da cerimônia em torno de sete ou dez dias antes da solenidade de posse da presidente e do vice-presidente que ocorrerá no primeiro sábado de 2011.

- O ideal é que o ensaio seja realizado em um final de semana para que encontremos condições próximas àquelas do dia do evento, comentou Juliana Guaracy Rebelo, diretora de Relações Públicas do Senado.    

veja também