MENU

CET sinaliza buracos espalhados por SP com cavaletes e cones

CET sinaliza buracos espalhados por SP com cavaletes e cones

Atualizado: Quinta-feira, 24 Fevereiro de 2011 as 8:21

O motorista que trafega pelas ruas e avenidas de São Paulo tem, além dos velhos e conhecidos buracos, novos obstáculos para ultrapassar: os cones e cavaletes. Instalados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para sinalizar onde há crateras, algumas vezes eles acabam mais prejudicando do que ajudando.     O motorista Alexandre Matos, de 34 anos, afirma que por pouco não se acidentou por causa de um cone. “Estava chovendo e eu só consegui ver o cone quando estava perto. Brequei em cima.”

A equipe de reportagem  percorreu diversas vias em São Paulo e verificou que o uso de cavaletes e cones é comum, principalmente nessa época de chuvas, quando o número de buracos aumenta. Na Santo Amaro, movimentada avenida da Zona Sul, na altura da Rua Baltazar da Veiga, uma fenda no asfalto da faixa exclusiva de ônibus era indicada por metade de um cone – a parte de cima do objeto foi atropelada (veja outros “obstáculos” na galeria de fotos).

Segundo a CET, o uso desses objetos para sinalizar buracos é correto. O procedimento padrão é a instalação do objeto e o contato com a subprefeitura responsável para o reparo do asfalto. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, caso não haja essa intervenção, acidentes podem ocorrer. Como exemplo, a companhia cita a cratera com 10 metros de profundidade aberta na Rua Itápolis. Ao contrário da maior parte dos buracos observados pela equipe de reportagem, essa cratera foi isolada por cones, redes e cavaletes.

Segundo o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Diogenes Cortijo Costa, especialista em trânsito, a sinalização de buracos deve ser feita tendo em vista a segurança. “Tem de fazer sinalização com placas indicativas e de desvios”, diz. A instalação apenas de um cavalete no interior de uma fenda é considerada ineficaz pelo especialista.

“Provavelmente a CET tem competência para fazer esse trabalho [com desvios e placas].” Procurada para comentar a respeito dos buracos verificados pela equipe de reportagem, a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras não se manifestou até a noite desta quarta-feira (23).

veja também