MENU

CGU abre procedimento preliminar para investigar Tuma Júnior

CGU abre procedimento preliminar para investigar Tuma Júnior

Atualizado: Quinta-feira, 13 Maio de 2010 as 9:24

A Controladoria-Geral da União (CGU) instaurou um procedimento preliminar para investigar as possíveis irregularidades cometidas pelo Secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior. O procedimento foi instalado na última sexta-feira (7), mas apenas nesta terça-feira (11) foi divulgado pela Controladoria. Tuma Jr. é suspeito de envolvimento com a máfia chinesa de São Paulo, mas ele nega todas as denúncias.

De acordo com uma nota publicada nesta tarde pela instituição, foram pedidas informações ao ministro da Justiça, Paulo Barreto, sobre providências que já foram adotadas. Também foi pedido que o ministro encaminhe à CGU os relatórios e demais informações que já tenha recebido sobre o caso. Na segunda-feira, o ministro teve acesso às informações, encaminhadas pela Polícia Federal (PF).  Segundo a assessoria do Ministério da Justiça, outros dados foram entregues a Barreto ainda na sexta-feira (7), quando o ministro ainda estava em viagem à Argentina.

A Controladoria ressaltou que cabe primeiramente ao ministério a instauração de qualquer medida apuratória de caráter administrativo disciplinar, uma vez que Tuma Júnior é ligado ao Ministério da Justiça. De acordo com o ministro Jorge Hage, ''a CGU está aguardando a manifestação do ministro da Justiça, que tem a competência originária para o caso e que certamente está avaliando as medidas mais adequadas''.

Hage ainda afirmou que a apuração iniciada na Comissão de Ética Pública não se confunde com a que possa ser instalada pela CGU. Segundo o ministro, a comissão irá avaliar se houve deslize de ordem ética, enquanto a CGU apura se houve ilícito administrativo disciplinar.

Férias

Nesta tarde, Tuma Júnior afirmou, em entrevista ao programa Brasil Urgente, da Rede Bandeirantes, que vai tirar alguns dias de férias. Antes, o G1 havia antecipado, com informações da assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, que Tuma Júnior irá se licenciar do cargo por 30 dias. A decisão ocorreu depois de reunião com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto - a segunda em menos de 24 horas.

Por Iara Lemos

veja também