MENU

Chacina deixa quinze mortos e oito feridos na fronteira com o Paraguai

Chacina deixa quinze mortos e oito feridos na fronteira com o Paraguai

Atualizado: Terça-feira, 23 Setembro de 2008 as 12

Chacina deixa quinze mortos e oito feridos na fronteira com o Paraguai

Quinze mortos e oito pessoas feridas à bala. Esse é o saldo da chacina ocorrida ontem, dia 22 de setembro, no início da tarde, em Guaíra, no oeste do Paraná, fronteira com o Paraguai. De acordo com informações da Polícia Federal, os assassinos chegaram de barco, pelo Rio Paraná, pela parte do lago de Itaipu que banha o Paraguai.

Há a suspeita de que os criminosos sejam paraguaios. Eles estavam encapuzados e já chegaram atirando contra a população no lado brasileiro. Ainda não há informações sobre o número de assassinos. A PF e a Polícia Civil de Guaíra, de Foz do Iguaçu e de Toledo estão realizando uma grande operação com o objetivo de tentar localizar os assassinos.

Hoje à tarde, o secretário de Segurança Pública do Paraná, Luiz Fernando Delazzari, concedeu entrevista e afirmou que uma uma dívida de R$ 4 mil com o tráfico pode ter sido a motivação para as mortes, que teriam ocorrido em uma favela, próxima ao lago de Itaipu. No entanto, a Polícia Federal não confirmou as informações passadas pelo secretário e disse que segue nas investigações de outras hipóteses para o crime. Uma hipótese analisada pela polícia é que o crime tenha ocorrido em represália devido a denúncias feitas por moradores sobre a existência de contrabando na região, realizado pelo rio.

De acordo com a PF, a chacina ocorreu na Vila Santa Clara, localidade às margens do lago de Itaipu. O governo do Paraná e a Polícia Federal formaram uma força-tarefa e hoje, dia 23 de setembro, o secretário Luiz Fernando Delazzari e o superintendente da Polícia Federal no estado, Delci Carlos Teixeira, vão para o local.

A região já é conhecida pela polícia pelo alto número de mortes devido à existência de conflitos de terra. Outro problema é a intensa atuação de quadrilhas de contrabando de drogas e armas, mercadorias vindas do Paraguai. As buscas estão sendo feitas por terra, com lanchas e também com a ajuda de um helicóptero na fronteira com o município de Salto del Guaira, no Paraguai.

veja também