MENU

China autoriza Embraer a fabricar jatos executivos no país

China autoriza Embraer a fabricar jatos executivos no país

Atualizado: Segunda-feira, 11 Abril de 2011 as 9:45

A fábrica da Embraer na China foi autorizada a produzir jatos executivos e receberá novas encomendas de aviões E-190 vindos do Brasil, informou nesta segunda-feira o embaixador brasileiro no país, Clodoaldo Hugueney. Os acordos serão oficializados amanhã, durante encontro da presidente Dilma Rousseff com o dirigente máximo do país, Hu Jintao.

Em conversa com jornalistas logo após a chegada de Dilma a Pequim, Hugueney disse que a China encomendará tanto aviões E-190, com capacidade para até 114 passageiros, quanto jatos executivos Legacy, mas se recusou a dar números.

Ele afirmou ainda que a China já emitiu licença autorizando a compra de dez aviões E-190 anunciada em janeiro para a empresa China Southern.

A fabricação de jatos executivos Legacy 600/650 foi o 'plano b' da fábrica da Embraer para continuar no país. Aberta em 2002, a joint venture entre a Embraer e a estatal Avic 2, em Harbin (nordeste), só estava autorizada a produzir o modelo ERJ-145, para 50 passageiros, já sem demanda. A última unidade em fabricação deveria ser entregue no primeiro trimestre deste ano.

A parte técnica é fácil, já que os Legacy têm a mesma plataforma do ERJ-135, mas há o problema do pequeno mercado chinês para esse tipo de avião.

'Simplesmente não há demanda suficiente para o Legacy 600 na China para manter uma linha de produção inteira', disse à Folha, na semana passada, o analista Brendan Sobie, do Centro para a Aviação da Ásia e do Pacífico, com sede na Austrália.

Entre os problemas estão a rígida legislação para comprar jatos executivos e a falta de estrutura nos aeroportos para esse tipo de aeronave.

Segundo a assessoria de imprensa da Embraer, dos 115 aviões da empresa vendidos à China, nenhum é jato executivo.

veja também