MENU

Chuva da madrugada mata 2 em SP, e Região Metropolitana tem manhã caótica

Chuva da madrugada mata 2 em SP, e Região Metropolitana tem manhã caótica

Atualizado: Quinta-feira, 21 Janeiro de 2010 as 12

Uma criança morreu e um casal de adultos está desaparecido após um deslizamento de terra no Grajaú, Zona Sul de São Paulo, nesta quinta-feira, dia 21, após as fortes chuvas que atingiram a Região Metropolitana na madrugada. Segundo os bombeiros, outras quatro pessoas foram resgatadas com vida do local - um adulto e três crianças. Na Pompéia, Zona Oeste, um homem morreu no desabamento de uma casa.

De acordo com os bombeiros, 15 equipes permanecem no Grajaú, na Rua Rio Icatu, procurando desaparecidos. A criança que morreu chegou a ser resgatada com vida e socorrida, mas morreu no hospital. Os bombeiros também atenderam ocorrências de desabamentos na Vila Jaguara e Parque São Domingos, na Zona Oeste, e no Guarapiranga, Zona Sul. Nesses locais, não houve registro de vítimas.

O temporal que caiu na madrugada alagou avenidas, fechou túneis, bloqueou estradas e provocou, pelo menos, mais três desmoronamentos, e causa reflexos no trânsito da capital nesta manhã. A principal rodoviária da cidade, na regão da Marginal Tietê, está com as operações prejudicadas - ônibus não conseguem chegar ou partir. Veja como está a situação agora na Região Metropolitana:

Alagamentos

A chuva causou diversos pontos de alagamento pela cidade. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 8h ainda havia 52 pontos ativos na capital paulista.

As vias mais afetadas foram as marginais Pinheiros e Tietê - os rios transbordaram. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo, além dos rios, também transbordaram os córregos Morro do S, Pirajuçara, Jaguaré, Rio Tamanduateí, Aricanduva e Ipiranga.

Apenas a Marginal Tietê permanecia em estado de alerta às 8h30. Já a Zona Leste, o restante da região Sudeste e a Marginal Pinheiros estavam em estado de atenção.

Às 8h30, o Túnel Tribunal de Justiça seguia interditado. Outros três túneis que chegaram a ficar interditados foram liberados.

Congestionamento na cidade

Por causa dos alagamentos, o trânsito começou a ficar complicado ainda durante a madrugada. Às 8h, foram registrados 92 km de congestionamento na cidade, acima da média para o horário.

O pior ponto era a Marginal Pinheiros, com 7,2 km de filas no sentido Castello Branco, até a Rua Quintana.

Na Marginal Tietê, sentido Castello Branco, as filas eram de 5,4 km, da Ponte do Piqueri à Rodovia Castello Branco. Na Marginal Tietê, altura da Ponte das Bandeiras, a pista expressa estava bloqueada nos trechos das pontes Fepasa, das Bandeiras e Atílio Fontana. A alternativa era desviar pelas ruas dos bairros. Outros alagamentos em vias locais dificultavam a passagem pela região.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) recomenda que os motoristas evitem transitar nas regiões da Vila Prudente, Ipiranga e nas marginais.

Estradas

Nas estradas, a situação também era complicada. Com as marginais paradas, os motoristas não conseguiam acessar a capital. Com isso, a lentidão era de 11 km na Rodovia dos Bandeirantes, do km 24 ao km 13; 10 km na Anhanguera, do km 21 ao 11; 7 km na Castello Branco, do km 20 ao km 13. Na pista lateral o congestionamento era de 6 km, do km 19 ao km 13.

Pela Rodovia Presidente Dutra, as filas eram de 11 km, do km 232 ao km 221. Na Rodovia Ayrton Senna, o congestionamento era de 10 km entre os kms 25 e 15, reflexo de um ponto de alagamento no km 18.

Na Via Anchieta, um alagamento interditou o km 13 na madrugada. Nesse local, a pista central permanece interditada no sentido litoral. A pista sentido São Paulo foi liberada um pouco antes das 9h, mas os motoristas ainda enfrentam 10 km de lentidão, do km 20 ao km 10.

Rodoviárias

Segundo a Socicam, que administra os três terminais rodoviários da capital paulista, os ônibus não conseguiam acessar nem deixar a Rodoviária do Tietê nesta manhã por causa dos alagamentos e da lentidão na Marginal Tietê.

Com isso, segundo a assessoria de imprensa da concessionária, será preciso esperar a água baixar para as operações voltarem ao normal. Apesar do atraso nas saídas, o terminal estava vazio - os passageiros também encontram dificuldade para chegar ao local.

Transporte público

Com alagamentos em alguns pontos, a Linha 10 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) teve o funcionamento normalizado à 8h30. Por volta das 9h, também foi totalmente normalizada a circulação de trens na Linha 9.

No Metrô, as linhas operavam normalmente, apenas com velocidade um pouco reduzida por causa da chuva.

Ceagesp alagada

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), localizada próximo ao Rio Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, amanheceu alagada. Diversos caminhões ficaram ilhados dentro da área, com água cobrindo as rodas. Os trabalhos estavam paralisados, e as pessoas não conseguiam entrar ou sair. A rua que dá acesso à Ceagesp, ao lado da Marginal Pinheiros, estava completamente alagada, sem possibilidade de passagem de veículos.

Rodízio

Até por volta das 8h20, a CET não havia suspendido o rodízio de veículos na cidade. Com isso, permanece a restrição à circulação de carros com placas final 7 e 8 no centro expandido da cidade até 10h.

Energia Elétrica

Na Zona Sul, a CET registrava pontos sem fornecimento de energia elétrica nas avenidas Engenheiro Luiz Carlos Berrini e Jornalista Roberto Marinho. Segundo a Eletropaulo, uma subestação no Morumbi que foi alagada pela chuva causava o problema. Uma equipe chegou pela manhã ao local e fazia inspeção nos equipamentos.

A Eletropaulo também registrava pontos isolados de falta de energia em outras partes da cidade, mas não tinha um levantamento de quantos consumidores foram afetados.

Aeroportos

Os dois principais aeroportos de São Paulo, Congonhas, na Zona Sul, e Cumbica, em Guarulhos, na região metropolitana, estavam abertos e operavam em condições visuais, sem problemas, nesta manhã.

veja também