MENU

Cidade no RS decreta situação de emergência, diz Defesa Civil

Cidade no RS decreta situação de emergência, diz Defesa Civil

Atualizado: Sexta-feira, 23 Julho de 2010 as 8:04

A cidade de Canela, no Rio Grande do Sul, uma das mais atingidas pelo vendaval e pelas chuvas no estado, decretou situação de emergência, na noite de quinta-feira (22). De acordo com a Defesa Civil, já chega a 13 mil o número de pessoas afetadas pelos temporais na cidade.

Cerca de 200 famílias estão desalojadas (deixaram suas casas e foram para a casa de amigos e parentes) e 11 famílias estão desabrigadas (devem ser levadas para abrigos públicos). Onze pessoas ficaram levemente feridas. Em Canela, mais de 400 residências foram danificadas e 89, destruídas. A cidade, que estava sem energia elétrica, teve a situação normalizada, segundo a Defesa Civil.

As cidades de Ibiaçá, Imigrante e Nonoai também foram afetadas pelo vendaval no Rio Grande do Sul. As três já encaminharam à Defesa Civil uma notificação de desastre para decretar situação de emergência. Falta ainda a avaliação do órgão.

Em Imigrante, 3 mil pessoas foram afetadas, 100 residências foram danificadas e 20, destruídas. Em Ibiaçá, segundo a Defesa Civil, 78 moradores foram afetados e 22 residências ficaram danificadas. Ainda de acordo com a Defesa Civil, em Nonoai, 230 pessoas foram afetadas pela chuva, que destruiu estradas e pontes na região. Pelo menos 25 residências ficaram danificadas e são registrados problemas no transporte público. Vendaval

Além de rajadas de 124km/h em Canela, na noite de quarta-feira (21), ventos fortes foram registrados em outras cidades da região. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em São José dos Ausentes (RS), houve registro de ventos de 90km/h. Em outras áreas do Rio Grande do Sul, as rajadas ficaram entre 70 e 80 km/h.

De acordo com a meteorologista Priscila Monteiro, do Inmet, não é possível afirmar se o vendaval que atingiu o Rio Grande do Sul foi um tornado. “Apesar de eventuais evidências nos estragos causados, como árvores retorcidas, só podemos dizer se ocorreu ou não um tornado se houver uma prova visual, ou seja, se alguém tiver registrado, em foto ou vídeo, o fenômeno”, diz.

Ainda assim, segundo o meteorologista Manoel Rangel, também do Inmet, a velocidade do vento pode classificar o vendaval como um tornado. "Na escala de Beaufort, ventos entre 103 e 117km/h são considerados tempestade violenta. Já ventos acima de 118km/h, a literatura classifica como tornado", diz.

Alerta

A Defesa Civil alerta para a possibilidade de novos temporais na região, a partir da noite de sábado (24).

veja também