MENU

Cinco vítimas prestam depoimento sobre acidente com bonde no RJ

Cinco vítimas prestam depoimento sobre acidente com bonde no RJ

Atualizado: Quarta-feira, 31 Agosto de 2011 as 3:53

O delegado Tarcísio Jansen, da 7ª DP (Santa Teresa), ouviu na manhã desta quarta-feira (31) cinco vítimas do acidente do bondinho que tombou no sábado (27) , na Rua Joaquim Murtinho, em Santa Teresa, Centro, deixando cinco mortos. No total, desde segunda-feira (29), prestaram depoimento cerca de 20 vítimas.

Segundo policiais que tiveram acesso aos depoimentos, as declarações são parecidas, com as vítimas contando apenas que sentiram o bonde aumentar a velocidade e ouviram o motorneiro dizer que o bonde estava sem freio.

Ainda na manhã desta quarta, policiais levaram peças do bonde que estavam na delegacia para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli para análise.

Angela de Souza, representante da Associação de Moradres de Moradores de Santa Teresa (Amast), disse na tarde desta quarta-feira (31) que a OAB-RJ instalará dentro da Comissão de Direitos Humanos um comitê para dar apoio jurídico às vítimas do acidente.

Às 16h30m, segundo Angela, o advogado Abaeté Mesquista, que acompanha as ações que a Amast impetrou na Justiça contra a empresa que administra os bonde, estará na OAB com uma relação de vítimas que poderão ser procuradas pela Ordem. A assessoria da OAB-RJ disse na tarde desta quarta que não tinha informação sobre o encontro.

Falta de investimentos

O secretário estadual de Transportes do Rio, Júlio Lopes, afirmou no fim da manhã desta quarta- que faltaram investimentos nos bondes de Santa Teresa.

“De fato o que acontecia é um processo que tínhamos muitas prioridades no governo e não se fizeram os investimentos no bonde no montante que era necessário. Nós investimos recursos significativos, mas não no montante que se poderá investir agora em função dessa trágica ocorrência. O que estou dizendo é que os investimentos que foram feitos precisam ser muito ampliados”, disse ele, pouco antes de se encontrar com o presidente do Detro, Rogério Onofre, que foi nomeado pelo governador Sérgio Cabral como interventor de bondes.

Mais cedo, no entanto, Cabral afirmou que não houve falta de investimento no sistema . “Foram R$ 14 milhões em investimentos para a recuperação de bondes e trilhos, isso foi feito. Mas me parece que houve problema de gerência”, acrescentou em evento pela manhã.

O trabalho com o novo interventor de bondes, Rogério Onofre, começou nesta quarta-feira durante reunião com engenheiros e o próprio secretário de Transportes, Júlio Lopes, no prédio da Secretaria de Transportes, em Copacabana.

Treze revisões em um mês

O bonde envolvido acidente no sábado (27) foi para a manutenção 13 vezes em agosto, cinco para consertar o freio. As informações são de um relatório distribuído pela Central, companhia que administra os bondes.

Segundo o documento, no dia 21, o bonde deixou de sair por problemas no freio, e só voltou a operar no dia 25, com a substituição da sapata, uma peça que trava a roda.

Para os especialistas, a quantidade de reparos seguidos indica problemas no bondinho: “Existia pelo menos alguma coisa normal, porque ele trocou as sapatas, um dia depois ele troca outra, um dia depois o ‘cara’ reclama da roda. Isso foi assim até chegar a véspera do acidente”, disse o engenheiro de transportes Fernando Macdowell.   A Central informou que possui sete bondes antigos e outros sete reformados . Dos antigos, de acordo com a companhia, apenas um estaria em condições de circular.

Medidas

Os bondes de Santa Teresa vão continuar fora de circulação até que sejam implementadas as medidas de segurança que o governo do estado promete tomar. A principal delas foi a transferência da gestão dos bondinhos , que deixa de ser da Secretaria de Transportes e passa para o presidente do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), Rogério Onofre.          

veja também