MENU

Circular com pneus murchos pode aumentar consumo em até 10%

Circular com pneus murchos pode aumentar consumo em até 10%

Atualizado: Segunda-feira, 19 Outubro de 2009 as 12

A cena é comum: o motorista chega ao posto de gasolina para abastecer e, quando vê o calibrador, não pensa duas vezes. Pede "28 libras nas quatro". Isso quando não acha que calibrar é perda de tempo.

Cada carro, porém, tem sua calibragem específica, indicada no manual do proprietário.

O que poucas pessoas sabem é que circular com os pneus murchos pode aumentar o consumo de combustível em até 10%, revela um trabalho de conclusão de curso de alunos de engenharia mecânica automotiva do IMT (Instituto Mauá de Tecnologia).

No estudo, um Ford Fiesta foi testado com três jogos de pneus Pirelli Cinturato P4 com pressões de 30 psi (indicada pela Ford) a 15 psi. Abaixo disso, há risco de o pneu descolar da roda e causar um acidente.

"Com 25 psi, o carro consome 1,3% mais gasolina na estrada. Com 20 psi, esse número sobe para 4,7%", detalha Hiussen Guilherme de Favari, graduando do IMT e piloto dos testes Folha-Mauá.

Com a metade da calibragem recomendada, o consumo aumenta 10,1% na estrada e 6,7% na cidade. No Fiesta, a média cai de 12,8 km/l para 11,7 km/l.

"O consumo piora porque o pneu murcho tem maior área de contato com o solo, aumentando o arrasto e o esforço do motor para deslocar o veículo", afirma Marcelo Rodrigues, coordenador de marketing da Goodyear.

Um estudo da fabricante também mostra que, andar com a calibragem 20% abaixo do recomendado, reduz a vida útil do pneu em 16%.

Buracos

Segundo Roberto Falkenstein, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Pirelli, uma pesquisa mostrou que 80% dos carros circulam com pneus descalibrados, a grande maioria com pressão 5 psi (20%) abaixo do recomendado.

Murcho, o pneu sofre desgaste mais acentuado nos "ombros", em vez de gastar a banda de rodagem uniformemente.

Para Falkenstein, há outro agravante no Brasil. "Como as ruas são esburacadas, o impacto amassa o aro da roda e esvazia o pneu lentamente, o que aumenta a temperatura interna e deforma a borracha. Em geral, o motorista nem nota a diferença ao dirigir."

Na pista, Favari conta que o comportamento do carro piora à medida que a pressão dos pneus é reduzida. "Quanto mais vazio, mais lenta é a reação do carro em curvas. E é preciso girar mais o volante."

Sem falar que, descalibrado, o pneu está mais vulnerável a impactos. Pode rasgar ou sofrer bolhas nas laterais. Aí, é lixo. Não serve mais para nada.

Em tempos de alta do álcool --o preço do litro subiu 14% nos últimos 30 dias--, não custa calibrar os pneus ao menos uma vez por semana, seguindo a pressão indicada no manual.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também