MENU

Coleta de apoio ao PSD será investigada

Coleta de apoio ao PSD será investigada

Atualizado: Sexta-feira, 17 Junho de 2011 as 10:55

O Ministério Público Eleitoral de São Paulo abriu ontem uma investigação sobre a suspeita de irregularidade na coleta de assinaturas de apoio à criação do PSD, partido liderado pelo prefeito Gilberto Kassab. Hoje mais dois pedidos de apuração devem ser oficializados.

Diante do cenário, até aliados de Kassab já admitem que esse imbróglio jurídico poderá impedir o novo partido de participar das eleições no ano que vem.

A coleta também é investigada pela Procuradoria em Santa Catarina, onde ao menos cinco eleitores mortos estão relacionados nas fichas.

Ontem, a Folha mostrou que a estrutura da Prefeitura de São Paulo é usada no recolhimento de assinaturas de apoio à fundação do PSD.

Um repórter preencheu a ficha de apoio à sigla do dentro da Subprefeitura da Freguesia do Ó, no gabinete do subprefeito Valdir Suzano.

Adversários de Kassab atacaram o episódio. "A reportagem mostra que um prédio público foi usado para promover o PSD. Está configurado o uso da máquina administrativa" disse o líder do DEM na Câmara, deputado ACM Neto.

Kassab, que deixou o DEM para fundar o PSD, tentou minimizar o episódio. "O que aconteceu na subprefeitura foi um erro. Ele [o ex-chefe de gabinete do subprefeito que entregou a ficha ao repórter] errou, tanto que pediu exoneração", disse, após evento no Palácio dos Bandeirantes.

"Repartição pública não é local para atividade partidária. Já uma investigação", completou o prefeito.

Na última quarta-feira o jornal "O Estado de S. Paulo" publicou um e-mail no qual uma servidora de uma subprefeitura da Zona Sul pedia ajuda a amigos para coletar assinaturas para a sigla do prefeito. Para Kassab, foi uma manifestação "pessoal" da funcionária.

CPI

Para obter o registro do PSD na Justiça Eleitoral, Kassab precisará apresentar 490,3 mil assinaturas de eleitores, colhidas em pelo menos nove Estados do país.

Com as investigações, o prefeito pode não conseguir o registro até o dia 30 de setembro, prazo limite para que o PSD possa estar apto a disputar as eleições de 2012.

Kassab afirmou não estar preocupado com o pouco tempo que lhe resta. "Todos estão muito otimistas."

A oposição vai explorar a crise. Ontem, o presidente municipal do PT, vereador Antonio Donato reuniu assinaturas para levar um pedido de CPI à votação.

Em paralelo, será feita uma série de convocações nas comissões da Câmara. O alvo principal é o subprefeito da Freguesia do Ó.

"Queremos mostrar que o esquema está espalhado por toda a administração. Temos relatos de casos em outras subprefeituras. Não é pontual", afirmou Donato.

*Colaborou DANIEL RONCAGLIA, de São Paulo

Por Daniela Lima

veja também