MENU

Com pegada mais pop, SWU reuniu 56 mil pessoas em seu segundo dia

Com pegada mais pop, SWU reuniu 56 mil pessoas em seu segundo dia

Atualizado: Segunda-feira, 11 Outubro de 2010 as 10:21

O segundo dia do festival SWU reuniu 56 mil pessoas na fazenda Maeda, em Itu (SP), a 75 km de São Paulo. Com pegada mais pop, teve como principais atrações as bandas norte-americanas Dave Matthews Band e Kings of Leon, que fechou o palco principal. A banda voltou ao Brasil cinco anos após se apresentar no TIM Festival, quando abriu para os Strokes. O show desta noite focou, principalmente, no último álbum, "Only By the Night" (2008). Eles também apresentaram canções do próximo disco, que sai no dia 19/10.

O Kings of Leon montou uma grande estrutura própria de iluminação, composta por dezenas de lâmpadas amarelas, que deram um toque especial à apresentação, que teve entre os pontos altos os hits "Sex on Fire", "Molly's Chambers" e "Use Somebody", tocada no bis.

O vocalista, Caleb Followill, agradeceu ao público brasileiro e disse esperar voltar com a próxima turnê em 2011. De resto, a apresentação foi morna -as canções são boas e foram bem executadas, mas o todo pareceu meio burocrático.

Em um dos shows mais longos do festival até agora, com 1h40 (nada comparado às três horas, em média, que eles tocam), Dave Matthew abriu o show com "Shake Me" e agitou a arena já lotada. A apresentação seguiu com "Die Trying" e "Seven". A banda encerrou o show com "Watchtower"

A maratona musical, no entanto, começou bem antes, às 14h, com apresentação do músico do Cabo Verde Ilo Ferreira. Logo em seguida, a trupe musical O Teatro Mágico mostrou seu espetáculo que mistura música com circo.

Os mineiros do Jota Quest pegaram o público ainda chegando ao evento, mas animou com sucessos da carreira, como "Do Seu Lado".

Logo em seguida, Dinho Ouro Preto comandou a apresentação sempre competente do Capital Inicial. E mandou um recado para os políticos do Brasil ao dedicar a eles a canção "Que País É Esse?", da Legião Urbana.

A banda norte-americana Sublime teve boa recepção no palco Água, um dos dois principais do SWU. Mas empolgou mesmo só na última música, o hit "Santeria".

A russa Regina Spektor causou estranhamento ao tocar seu piano de cauda acompanhada de violoncelo e violino. Mais afeita a apresentações em locais menores, a dona do hit de novela "Fidelity" até empolgou os fãs cativos, mas sua apresentação foi marcada por bate-papo da plateia e gritos de "aumenta o som", que estava realmente baixo.

A britânica Joss Stone deve levar o "troféu simpatia" do SWU. Com sua voz de diva soul, a loira encarou o frio com um vestido sem mangas e descalça, enrolou-se na bandeira brasileira e conversou bastante com o público entre um hit e outro, como "Fell In Love With a Boy".

PERRENGUES

Mesmo que mais organizado do que o primeiro dia, o SWU continuou apresentando problemas graves de infraestrutura. Logo na chegada, o trânsito na estrada Santos Dumont estava pesado, e algumas entradas para os estacionamentos, fechadas.

A organização do evento prometeu reforço na frota de ônibus, que deve chegar a 120 hoje, 40 a mais do que ontem. Na primeira noite, muita gente dormiu ao léu, pois não conseguiu ir embora da fazenda Maeda nos ônibus lotados.

Hoje, havia mais policiamento no acesso à fazenda e na saída dos carros. Meia hora após o encerramento do show do Kings of Leon, o trânsito na estrada de terra batida que dá acesso ao SWU era tranquilo.

Os celulares estavam com sinal fraco, e o sistema de cartões ficou fora do ar em várias barracas. Longas filas para comprar comida e bebida irritaram os presentes. O frio intenso, agravado por ventos fortes, também tirou um pouco do ânimo dos pagantes.

A falta de educação do público não ajudou. Apesar da grande quantidade de banheiros, os rapazes urinavam nas cercas vivas do evento. No fim da noite, o gramado principal era uma mistura de copos plásticos e de latas de cerveja.

NOVO SOM ELETRÔNICO

Hoje, a tenda Oi Novo Som selecionou bons nomes da música brasileira atual. Tulipa Ruiz fez um show alegre e divertido, apesar da gelada corrente de vento no local e da "invasão sonora" da tenda Heineken Greenspace, de música eletrônica, que tem atrapalhado todas as apresentações da tenda.

Num dos shows mais comentados da noite, Otto apresentou canções de seu último disco, o elogiado "Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos". O músico também brincou com o fato de seu show terminar exatamente às 10 da noite do dia 10/10/2010.

A tenda teve ainda apresentações de Volver, Lucas Santtana, Rubinho e a Força Bruta, Bomba Estéreo, Luisa Maita e Overal.

Quem agitou a gigante tenda eletrônica foram os DJs Mario Fischetti, Nick Warren, Life Is a Loop, Sander Kleinenberg, Roger Sanchez, Sharam e Markus Schulz.

O segundo dia do festival SWU reuniu 56 mil pessoas na fazenda Maeda, em Itu (SP), a 75 km de São Paulo. Com pegada mais pop, teve como principais atrações as bandas norte-americanas Dave Matthews Band e Kings of Leon, que fechou o palco principal. A banda voltou ao Brasil cinco anos após se apresentar no TIM Festival, quando abriu para os Strokes. O show desta noite focou, principalmente, no último álbum, "Only By the Night" (2008). Eles também apresentaram canções do próximo disco, que sai no dia 19/10.

O Kings of Leon montou uma grande estrutura própria de iluminação, composta por dezenas de lâmpadas amarelas, que deram um toque especial à apresentação, que teve entre os pontos altos os hits "Sex on Fire", "Molly's Chambers" e "Use Somebody", tocada no bis.

O vocalista, Caleb Followill, agradeceu ao público brasileiro e disse esperar voltar com a próxima turnê em 2011. De resto, a apresentação foi morna -as canções são boas e foram bem executadas, mas o todo pareceu meio burocrático.

Em um dos shows mais longos do festival até agora, com 1h40 (nada comparado às três horas, em média, que eles tocam), Dave Matthew abriu o show com "Shake Me" e agitou a arena já lotada. A apresentação seguiu com "Die Trying" e "Seven". A banda encerrou o show com "Watchtower"

A maratona musical, no entanto, começou bem antes, às 14h, com apresentação do músico do Cabo Verde Ilo Ferreira. Logo em seguida, a trupe musical O Teatro Mágico mostrou seu espetáculo que mistura música com circo.

Os mineiros do Jota Quest pegaram o público ainda chegando ao evento, mas animou com sucessos da carreira, como "Do Seu Lado".

Logo em seguida, Dinho Ouro Preto comandou a apresentação sempre competente do Capital Inicial. E mandou um recado para os políticos do Brasil ao dedicar a eles a canção "Que País É Esse?", da Legião Urbana.

A banda norte-americana Sublime teve boa recepção no palco Água, um dos dois principais do SWU. Mas empolgou mesmo só na última música, o hit "Santeria".

A russa Regina Spektor causou estranhamento ao tocar seu piano de cauda acompanhada de violoncelo e violino. Mais afeita a apresentações em locais menores, a dona do hit de novela "Fidelity" até empolgou os fãs cativos, mas sua apresentação foi marcada por bate-papo da plateia e gritos de "aumenta o som", que estava realmente baixo.

A britânica Joss Stone deve levar o "troféu simpatia" do SWU. Com sua voz de diva soul, a loira encarou o frio com um vestido sem mangas e descalça, enrolou-se na bandeira brasileira e conversou bastante com o público entre um hit e outro, como "Fell In Love With a Boy".

PERRENGUES

Mesmo que mais organizado do que o primeiro dia, o SWU continuou apresentando problemas graves de infraestrutura. Logo na chegada, o trânsito na estrada Santos Dumont estava pesado, e algumas entradas para os estacionamentos, fechadas.

A organização do evento prometeu reforço na frota de ônibus, que deve chegar a 120 hoje, 40 a mais do que ontem. Na primeira noite, muita gente dormiu ao léu, pois não conseguiu ir embora da fazenda Maeda nos ônibus lotados.

Hoje, havia mais policiamento no acesso à fazenda e na saída dos carros. Meia hora após o encerramento do show do Kings of Leon, o trânsito na estrada de terra batida que dá acesso ao SWU era tranquilo.

Os celulares estavam com sinal fraco, e o sistema de cartões ficou fora do ar em várias barracas. Longas filas para comprar comida e bebida irritaram os presentes. O frio intenso, agravado por ventos fortes, também tirou um pouco do ânimo dos pagantes.

A falta de educação do público não ajudou. Apesar da grande quantidade de banheiros, os rapazes urinavam nas cercas vivas do evento. No fim da noite, o gramado principal era uma mistura de copos plásticos e de latas de cerveja.

NOVO SOM ELETRÔNICO

Hoje, a tenda Oi Novo Som selecionou bons nomes da música brasileira atual. Tulipa Ruiz fez um show alegre e divertido, apesar da gelada corrente de vento no local e da "invasão sonora" da tenda Heineken Greenspace, de música eletrônica, que tem atrapalhado todas as apresentações da tenda.

Num dos shows mais comentados da noite, Otto apresentou canções de seu último disco, o elogiado "Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos". O músico também brincou com o fato de seu show terminar exatamente às 10 da noite do dia 10/10/2010.

A tenda teve ainda apresentações de Volver, Lucas Santtana, Rubinho e a Força Bruta, Bomba Estéreo, Luisa Maita e Overal.

Quem agitou a gigante tenda eletrônica foram os DJs Mario Fischetti, Nick Warren, Life Is a Loop, Sander Kleinenberg, Roger Sanchez, Sharam e Markus Schulz.

veja também